O pai do Senna e o trabalho escravo

Não é tarefa fácil julgar se de fato houve ou não trabalho escravo na propriedade rural da qual é sócio o pai do falecido piloto Ayrton Senna.

O certo, contudo, é que a fazenda foi objeto de fiscalização pelo Ministério do Trabalho e que ali foram identificadas diversas irregularidades.

No entanto em se tratando de trabalho em condições análogas a de escravo é interessante se dar uma olhada no artigo de Lúcio Lambranho para o Ig, no qual, ademais de traçar uma radiografia da situação da propriedade ele relembra um caso célebre, que foi tratado pelo nosso blog relativo à comissão criada no Senado Federal para investigar a ação dos Fiscais do Trabalho na Fazenda Pagrisa.

Conforme a reportagem o trabalho deu em nada. Ou seja: ou acabou o interesse do Senado pelo caso, ou por serem verdadeiros os casos os senadores “investigadores” não quiseram mais se envolver.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-aK

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: