Você Não Precisa Reaprendar a Andar

    136
    4

    A nossa postagem anterior, propondo que o usuário deixasse de lado a utilização dos softwares pagos, deve ter deixado muita gente de cabelos em pé.

    No entanto não é para tanto. Confesso que nem eu mesmo ainda instalei o LINUX em qualquer máquina minha, mas esta situação está cada vez mais próxima de mudar.

    Principalmente agora que meu sogro, por sugestão minha, adquiriu um notebook com estes sistema operacional, e pagando 30% menos que o equipamento mais barato equipado com o Windows XP. E a sua aparência é, de fato, bem amigável, isso sem contar da velocidade de resposta e estabilidade, infinitamente superiores a qualquer equipamento com o sistema operacional da MicroSoft.

    Todavia é bem possível que sequer necessitemos transitar pelo LINUX. A maioria dos aplicativos que tem surgido, e já há alguns em utilização para o Processo Eletrônico, tem sido web-based, ou seja baseado na Web e com acesso, portanto, através do navegador (como o Internet Explorer ou o Firefox). Isso significa que independentemente do sistema operacional de seu computador você poderá ter acesso aos mesmos aplicativos que qualquer outro usuário.

    Assim utilizando-se desta funcionalidade e ferramentas gratuitas como por exemplo o Gmail ou o Google Docs você terá acesso ao seu escritório virtual em qualquer lugar em que você tenha um computador ligado à Internet. Desta forma ao se concretizar o fato de ser adotado, de fato, uma ferramenta web-based pelo Judiciário, a atividade do operador do Direito será extremamente facilitada, haja vista que, ao entrar no sistema, o usuário terá a ampla visão de seus processos, prazos, etc., podendo, de imediato, através da utilização de seus modelos, armazenados, por exemplo, no Google Docs, elaborar uma petição, que será de imediato protocolizada, permitindo ao processo seguir, de imediato, seu trâmite.

    A utilização de ferramentas como o próprio Orkut, que é também do Google, já permite ao usuário se familiarizar com os aplicativos online, sendo que daí a passar a se utilizar o Gmail é um passo. Certo é que o usuário, após começar a usar o Gmail, jamais conseguirá retornar ao uso de um aplicativo como o Outlook, que, com certeza, não lhe fará falta alguma.

    [BL] Windows Vista, Linux, editor de texto, livro do Canotilho[/BL]

    4 COMENTÁRIOS

    1. Felipe: heh, estava só esperando a típica defesa de usuário Linux. como você mesmo diz, o Ubuntu deve ser comparado com o Windows XP, não com o Vista (que é uma mudança completa de paradigma, e portanto desenvolvida para computadores mais modernos). neste caso, são igualmente rápidos e, sinceramente, o Windows é muito mais estável out-of-the-box. eu não lembro quando foi a última vez em que o meu WinXP travou, ou teve um BSoD, mas deve fazer mais de ano.

      é possível configurar uma distribuição Linux para rodar até mesmo em um Pentium 133 MHz? com certeza, especialmente coisas como slackware. mas é algo que requer um expertise com Linux que pouca gente tem, além de ser algo meio inútil para usuários em geral.

      algumas coisas são melhores implementadas no Linux, como Java (fazendo com que o Azureus, por exemplo, que é um enorme “memory hog” no Windows seja um programa perfeitamente utilizável em Linux). outras são terríveis (não ter transparência em Flash é o fim da picada, Firefox é irritantemente instável, e o Opera simplesmente não dá para usar).

      no fim das contas, como sempre, cada sistema operacional tem suas vantagens e desvantagens. mas “rapidez” e “estabilidade” são coisas repetidas há dez anos e que, desde o Win2k, não correspondem à realidade das plataformas Microsoft. não me entenda mal, eu gosto do Ubuntu e o utilizo até mais do que o Windows atualmente, mas essa história de ficar repetindo esse senso comum nerd achando que vai passar a ser verdade só por isso, me irrita profundamente.

    2. Eu garanto. Linux é mais estável que um sistema operacional Microsoft! Faz horas que meu micro não trava!

      E é mais rápido pois se compararmos por exemplo a última versão do Ubuntu com o Windows Vista vai dar um banho. O Ubuntu, lançado em novembro de 2006, consome mais ou menos os mesmos recursos que o Windows XP, lançado em 2001.

      Existem gerenciadores de janelas como o Xfce que são muito leves. Utilizei ele satisfatóriamente num P3 600 com 128MB de RAM.

      Quanto ao Firefox, ele é um pouco instável (mas acho q isso seja um problema comum), mas você pode usar o Konqueror, Opera, Epiphany, entre outras tantas opções.

    3. Jorge: se você não utiliza o Linux normalmente, baseado em quê afirma que ele é mais rápido e estável que um sistema operacional Microsoft? acho que, passado o deslumbramento de se livrar da maléfica empresa de Bill Gates, você vai descobrir que as coisas nem sempre são tão boas assim (especialmente o Firefox, que é incomparavelmente mais instável no Linux que no Windows, além de não conseguir renderizar páginas com Flash direito).

    4. Se tu fores testar o Linux, testa o Ubuntu, que é a distribuição que uso. Claro que tem aquela quebra, por causa de hábitos adquiridos no Windows, mas depois que tu te acostuma, se torna muito mais fácil e rápido que antes.

      Muito bom teu blogue, por que falta e muit advogados que entendam como a internet funciona e goste desse “mundinho”!

      Sucesso!

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.