Início Direito Os Blogueiros Brasileiros Podem Dominar o Mundo

Os Blogueiros Brasileiros Podem Dominar o Mundo

430
5

Darth Vades

Tenho buscado assinar FEEDs de blogs de outros países para ter uma noção do que ocorre além do nosso mundinho da Blogosfera Brasil. Por enquanto estou “conectado” na blogosfera portuguesa, em especial na parte jurídica desta, com blogs como Grande Loja do Queijo Limiano, Cum Granis Salis e, mais recententemente o Sine Die, na italiana, apenas com o pouco interessante Blogosfera, e na reduzidíssima uruguaia, na qual creio ter assinado todos os feeds existentes, o que resultou em Actualidad Uruguaya, El Clasificador de Basura, Rodolfo Pilas, Viños Orgânicos e Montevideo me Mata. Alguns até bem movimentados.

Deste contato com o mundo exterior tenho verificado que os blogueiros brasileiros estão infinitamente à frente dos examinados. Para começar a sua quase totalidade se vale de hospedagem gratuita, na sua maioria o Blogger, ao passo que aqui, embora o Blogger ainda tenha uma fatia expressiva, a migração para domínio próprio e, principalmente, plataformas mais poderosas, como o WordPress é uma tendência natural.

Igualmente no que diz respeito à interação. De uma simples olhada podemos apreender que nossos blogs contém um número muito mais significativo de links, o que enriquece o seu conteúdo, ademais de fazer valer a filosofica de blog que reside justamente na interligação com vista a ampliar o conhecimento.

Pouco se observa, de outra parte, relativamente à utilização do blog para a veiculação de anúncios, sendo interessante investigar se esta é causa ou conseqüência do uso das hospedagens gratuitas.

Tais situações deixam os blogueiros nacionais em uma posição privilegiada em relação aos blogs em Língua Portuguesa, são blogs com conteúdo excelente, com cuidadoso trabalho quer visual quer intelectual, como por exemplo os blogs de Cardoso e do Rafael Arcanjo, que se fazem essenciais nos agregadores de notícias de quem quer estes por dentro do que acontece na nossa Blogosfera.

Perde-se, contudo, quando se pensa em globalização. Sabe-se que os blogs em Língua Inglesa, por sua fácil divulgação em sítios como Digg, Del.icio.us ou Fark, ou identificação nos sítios de buscas, chegam a ter milhares de únicos leitores diários, fenômeno alcançado apenas por uma fração pequena dos blogs nacionais, e ainda assim sem conseguir sequer aproximar-se dos recordes dos gringos.

Mas parece, contudo, que a situação é passageira. Os blogueiros nacionais, na sua maioria oriundos de atividades relacionadas à Tecnologia da Informação, ou portadores de diploma de nível superior, tem uma facilidade grande para entender e apreender o idioma padrão da Internet, o Inglês, isso sem se falar na enorme semelhança da nossa língua com o Espanhol, respectivamente 3a e 4a línguas mais faladas no mundo segundo a Wikipédia.

Importante ressaltar que os anglo e hispano hablantes têm desprezo pela aprendizagem do Português, o que poderá redundar, portanto, em uma grande vantagem dos brasileiros que, ao escrever em inglês e/ou espanhol, ademais de sua língua natal, abarcarão, respectivamente as 3a, 4a e 5a línguas mais faladas no mundo atingindo um total de um bilhão e trezentos milhões de habitantes da Terra, aproximadamente.

Vejam-se que os brasileiros têm uma propensão natural à utilização da Internet em grande escala, o que contrasta, inclusive, com a sabida pobreza de parte significativa de sau população, embora seu poder de mobilização seja mais voltado a grandes bobagens, do que a coisas realmente úteis.

5 COMENTÁRIOS

  1. Eu também acredito na sua afirmação, porque apesar de tantos contrastes entre o nosso povo, somos inteligentes.
    Veja q em tantas comunidades pela a web afora, estamos quase sempre em maior número e isso mais adiante, não será apenas em números, mas em qualidade também.
    Isso ao menos é o que eu acredito.
    ab

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.