Início Direito Não me Seqüestre: Sou Juiz

Não me Seqüestre: Sou Juiz

72
0

O Igor noticia uma “novidade” do Tribunal de Justiça do RS: um desembargador, para mostrar que não está roubando, quer que todos os seus colegas abram suas contas para a população.

bolsos_vazios.jpgA idéia, data maxima venia, é péssima! Como o próprio Igor assevera há um sem número de fontes de renda que os magistrados podem ter licitamente, como aulas, livros ou blog, sendo que – sabe-se lá – se um negócio desses chega a dar certo o magistrado vai ter que expor na Medina (a cidade, a cidade) toda sua “fortuna”?

Para quem não sabe esclareço: nós magistrados federais, assim como também todos os servidores com cargos de confiança, temos que apresentar, sempre que efetuamos nossa declaração de renda à Receita, cópias da referida aos nossos tribunais. Creio que o mesmo se aplique aos estaduais.

Francamente não sei se há um servidor que fica lá apurando se as contas fecham ou que tal ou qual juiz andou gastando além da conta. No entanto o que importa é que há um controle. Se ele é ineficiente que se aperfeiçoe.

Não acredito, portanto, que eu por conta de um ou outro pilantra que andou se esbaldando por conta de sua função pública, possa ser obrigado a publicar ao mundo o meu patrimônio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.