Início Direito Lei anti-fumo

Lei anti-fumo

405
48

Dos diversos comentários que ouvi sobre a lei anti-fumo a ser adotada pela Estado de São Paulo uma das mais lúcidas é a do colunista de saúde da Rádio CBN, Luís Fernando Correia.

E ele aborda o assunto sob um aspecto que nos é bastante caro: a saúde dos trabalhadores sujeitos à fumaça do cigarro. Ou seja segundo estudos que ele aponta a saúde de trabalhadores em estabelecimentos em que se deixou de permitir o fumo de cigarro melhorou significativamente. Para se ter apenas uma idéia, segundo o autor, a quantidade de cotinina, um produto decorrente da metabolização da nicotina no sangue de trabalhadores que se livraram da fumaça em seus locais de trabalho reduziu em até 80%.

Isso sem falar na redução de problemas respiratórios nestes trabalhadores em até 12%. Apenas por este motivo já se justifica a lei. Claro que sempre haverá aqueles que se entendem prejudicados na sua liberdade, invocando proteções constitucionais. Contudo não se pode negar que, ao contrário do álcool, em que pequenas doses podem ser até benéficas, não existe nível aceitável para o consumo de tabaco, sendo que o consumo passivo não raro é mais prejudicial do que o ativo, uma vez que aquele que fuma absorve o produto através de um filtro, enquanto o fumante passivo recebe toda a sua dose de fumaça diretamente, sem qualquer intermediário.

Aliás sempre é oportuno lembrar que a liberdade do indivíduo vai apenas até onde não interfere na liberdade alheia e respirar ar puro deve ser um direito humano muito mais fundamental do que aspirar fumaça alheia.

Recordo-me, aliás, de uma bem humorada tirada que ouvi há algum tempo em que um “bebedor” de cerveja dizia a um fumante: se você gosta de fumar e a fumaça é o resíduo de seu prazer, eu gosto de tomar umas cervejinhas e a urina é o resíduo do meu prazer. Você gostaria que eu urinasse em sua cabeça?

Aliás em um sentido um pouco parecido o vídeo abaixo, do YouTube.

48 COMENTÁRIOS

  1. Na verdade, a situação é muito mais grave, do que a maioria da gente pode imaginar. A idiótica individual não tem limite, claro, mas isso é um problema de indivíduo. Mas a idiótica coletiva é um fenômeno que faz perigo para todos os nós, especialmente quando contamina o poder legislativo! Não há nenhuma confirmação cientifica sobre qualquer influencia negativa de fumo para saúde humana, ao contrario, existem algumas fortes evidencias do que o fumo prolonga a vida (o famoso “paradoxo da Franca”, por exemplo)! Você está com surpresa? Você vai me falar, que tudo mundo sabe algo contrario! Mas de onde a gente tem esse conhecimento? – De televisão? De médicos? Concordo, eles mentem assim já faz tempo! Mesmo como eles mentem sobre o efeito estufa do gás carbônico, a gripe suína, de aves, camadas de azoino, comida e bebida “light”, etc. Tudo isso é somente uma mentira? – pior! Tudo isso é uma meia-verdade!!! Uma mentira pura é fácil de desmentir, já para quebrar uma meia-verdade às vezes precisa ser especialista na área e fazer uma pesquisa profunda. E quem tem tempo para fazer isso? Mas se alguém vai fazer, a surpresa dele será enorme! Agora, para quem tem acesso à internet, tenta descobrir de onde vem esse “movimento antitabagismo” no fim do século 19 – começo do século 20. E o que esses fanáticos religiosos entenderam sobre a saúde humana, sem falar que até a Bíblia eles foram incapazes de ler com uma atenção mínima.

    • eu sou totamente a favor desta lei mas ainda eu sou um dependente desse ciguarro e na minha escola que estudo tem acontecido algo muito estranho por que a secretaria disse que não podemos fumar perto da escola ou dentro mas eu tenho visto varios professores saindo para fumar se essa lei é paratodos porque os professores podem essa lie tem que funcionar para todos e é essa minha indiguinasão porisso que gostaria que vc me mandasse uma resposta disso dentro da lei

  2. Ok, Ok…

    Eu tb gosto de apreciar um cigarrinho de vez em quando… nada melhor em certos momentos.
    Mas devo dizer que mesmo assim, não gosto dõ cheiro do cigarro, não gosto de gente fumando na minha cara.
    E fiquei muito satisfeita na primeira vez que sai de uma balada sem estar fedendo isuportavelmente por causa do cigarro dos outros.

  3. Já que a Lei Anti-Fumo proibe o fumo em locais fechados, até privados como condominios.Eu gostaria de saber se ela tambem está sendo cumprida nos presidios? Se o governo está fiscalizando e autuando com a mesma avidez que faz com os estabelecimentos privados? Ou será que apenas os cidadões que direitos, que pagam impostos, é que tem seus direitos cerceados(independente de ser certo ou errado fumar em locais publicos).

  4. Viver é um risco.
    A última gripe que você pegou veio de qual fumante?
    E a catapora? A meningite, a gripe suína, a tuberculose, vieram de quantos fumantes?
    O ar expelido por um não fumante pode estar contaminado. CUIDADO!
    O ar expelido por um fumante nunca estará contaminado devido a presença do alcatrão que é um poderoso bactericida e fungicida. As 4 mil substâncias nocivas ficaram nos alvéolos do infeliz fumante que, apenas, se auto-prejudica.
    O resto é propaganda.

  5. Tem gente que em locais fechados como MINI SHOPPINGS, estão ligando INCENSO para disfarçar o cheiro do cigarro. Segundo o blog: pneumologia.med.br o incenso é PIOR do que cigarro porque provoca câncer nas vias respiratórias e na garganta, então, tem é que DENUNCIAR essas pessoas que só pensam em PREJUDICAR A SAÚDE ALHEIA.

  6. Gostaria de tirar uma dúvida por ser leigo na área de Direito.

    Eles pregam o slogan ” Todos tem o direito de respirar um ar puro “, e fica minha dúvida.
    Com base no slogan da Lei Antifumo, eu gostaria de dizer:

    – Eu não tenho carro , e carro polui o ar. Quando vai entrar em vigor a lei que proibe os carros de andar?
    – Ja que querem a lei , porque não foi adotada a seguinte medida:

    • O dono do bar escolhe se ele quer que fumem ou não no estabelecimento dele , colocando uma placa de aviso aos frequentadores: ” Aqui pode fumar ” ” Aqui não pode fumar ” e os drequentadores de bares , restaurantes , casas noturnas, enfim escolhem para qual quer ir.
    Com relação ao garçons que não fumem e é prejudicado pelo fumaça, ficava um adendo de a Associação responsável pelos bares , casas noturnas , etc de fazer a troca dos mesmos de bares , talvez tenha uma garçon que fume em um lugar onde o dono proibiu o uso de tabaco no geral.

    Desculpe de falei besteira , mais é uma dúvida que tenho.

  7. Antifumo: Um dia em Buenos Aires…

    Antifumo …logo entrou uma família, sentou-se na mesa ao lado e de mau exemplo o pai acendeu a droga do cigarro, depois chegou um casal bem vestido, sentando-se do outro lado e acendeu dois…
    ……

    • Antonio, entre parênteses, numa discussão em que se fala tanto sobre discriminação e preconceito, é sensato que se tenha cuidado com o preconceito e a intolerância linguísticos! O assunto em pauta não é o cumprimento das normas gramaticais cultas, mas sim a manifestação de opiniões, as quais tenho certeza que foram entendidas independente da maneira como foram escritas.
      Carlos Tomaz, concordo plenamente com seu ponto de vista!

      • @Samira,
        O preconceito não é linguístico, Samira. Vc se sente em condições de discutir física quântica com qulaquer especialista? Eu não. Eu não discuto sobre futebol porque suas regras e filigranas estão fora da minha área de interesse. Vai me desculpar mas não vejo condições de discutir estes assuntos em pessoas que não explicitam nem o mínimo conhecimento do idioma pátrio. Não se tratam de erros de digitação tão comuns neste meio, como se pode observar.
        Agradeço sua observação mas discuto a defesa que fez de quem expressou opiniões sem conhecimento para ter convicção. Note-se que não discuto a intenção da lei mas o conteúdo, que me parece primário e até mesmo ditatorial.

  8. Posso não concordar com nenhuma de vossas palavras, mas defenderei até a morte o direto de proferí-las. (Voltaire)
    Pessoal a questão aqui não é quem é bom e quem é mal, quem é saudável ou quem não é.
    Não quero fumar em ambientes fechados incomodando os outros.
    Quero poder acender meu cigarro em paz em um espaço aberto e ventilado sem ninguém me olhar feio, só isso.
    Luto pelo respeito do direito individual sem interferir no público.
    Sou a favor da liberdade.
    Se o proprietário de um bar quiser ter um setor de fumantes ele tem esse direito, como o estado pode proibir a iniciativa privada do livre arbítrio?
    Se a lei dissesse que tem que ter ventilação no setor de fumantes, que nesse setor tem que haver uma porta separando, etc… tudo bem.
    O problema é não resolver , não dar uma solução e simplesmente proibir até nos locais abertos dos bares se tiver toldo ou paredes, isso que é ridículo.
    Os fumantes estão sendo expulsos de uma vida social normal.
    Não queremos incomodar ninguém, queremos fumar em paz nas áreas abertas de bares, faculdades , condomínios, empresas, etc… e discutir alternativas melhores que a ditadura. Isso parece ser só o começo, acredito que virão leis piores agredindo direitos individuais e das minorias.
    Se a questão é saúde daqui a pouco vão proibir batata frita e calabreza em bares e restaurantes.

    • @alexandre,

      Entendo a sua aflição. No entanto me parece que sequer um ambiente fechado apenas para fumantes seja adequado sob o ponto-de-vista da saúde, na medida em que aumentará em muito a exposição dos fumantes à fumaça dos outros.
      Lembre-se que quando estiverem presos a máquinas para que lhes mantenham a vida (situação exagerada, mas não impossível) é o Estado que tem que lhes prover saúde.
      Muito melhor que evite que adoeçam, neste caso.

      • @Jorge Araujo,

        Me parece lúcida a sua conclusão, contudo acredito que você esqueceu de um direito tão fundamental quanto a própria vida.

        Princípio sem o qual a vida não é vida, e sim “sobrevida”, o livre arbítrio.

        Sou ex-fumante por opção, mas acredito que o fumante deve ter o direito a fumar em QUALQUER lugar (ainda que fechado parcialmente, seja por toldos, paredes ou afins).

        Em locais fechados, a situação fica mais complicada, já que também tenho o direito a não ser obrigado a respirar fumaça, mas eu continuo podendo escolher à qual lugar ir.

        O fumante só pode escolher entre ir e ser privado, ou não ir.

        No mais, seguindo o livre arbítrio, o proprietário do local pode escolher quem privilegiar, fumantes ou não fumantes. Agora, obrigar fumante a tomar chuva e frio (no mínimo) para poder fazer algo que gosta (ou é dependente), é o fim da picada.

        Lembre-se do inciso III do Art. 5º da CF 1988
        (…)III – ninguém será submetido a tortura nem a tratamento desumano ou degradante;(…)

        Não lhe parece degradante sujeitar uma pessoa, que possui dependência química à uma substância lícita, a se retirar de um local ABERTO para tomar, por exemplo, frio e chuva?

        Pense novamente…

        Abraços.

        Paulo

      • @Paulo Costa,

        Em primeiro lugar “livre arbítrio” é um conceito religioso. Tem a ver com você escolher entre fazer o bem e fazer o mal. Ira para o céu ou inferno, etc. Alguma coisa, se bem me lembro, com a expulsão do Paraíso de Adão. Enfim o conceito não se enquadra ao caso.
        O que você certamente se refere é algum mais simples: “a liberdade”.
        Ou em outras palavras a possibilidade de fazer tudo que não é proibido.
        Assim você pode, sim, fumar. Desde que o exercício do seu direito não viole o de outro, que é o de respirar “ar puro” (por mais relativa esta expressão possa assumir em uma cidade poluída como São Paulo).
        Levando ao absurdo você poderia achar que tem a “liberdade” de dar tiros a esmo na rua. No entanto sabemos que este direito não existe, em virtude do direito dos transeuntes de não levar uma bala perdida.
        Finalmente temos ampla consciência de que a fumaça do cigarro é prejudicial. Talvez até mais do que para aqueles que a fumam através de um filtro. Não sendo, pois, jurídico sujeitar-se estes à liberação de resíduos de terceiros.
        Quanto à liberdade dos donos de bares e restaurantes, isso passa mais por uma política pública. O Estado de São Paulo expressamente optou por restringir o uso de cigarros. Como já se restringiu o de outros tipos de drogas, do jogo, da bebida alcoólica para menores, etc.
        É uma opção legislativa, governamental e, ao que me parece, constitucional.
        Assim, feliz, ou infelizmente, temos que nos conformar com ela e os não-fumantes, festejá-la.

      • @Jorge Araujo,

        Oi Jorge, tudo bem?
        Realmente o que eu quis dizer foi algo mais parecido com liberdade, mas no sentido de poder fazer absolutamente TUDO humanamente possível.

        O fato de existir uma proibição não impede ninguém de fazer algo. É o medo de uma sanção que, de acordo a avaliação individual, faz com que alguém faça ou deixe de fazer algo.(caso contrário não haveria criminosos, certo?)

        Veja, liberdade eu tenho de atirar em quem quiser, mas também existe a contrapartida, ou seja, a pena. Não confunda “direito” com “liberdade”. E não se esqueça que a Lei (todas) foram criadas após a humanidade, e não o contrário. E a humanidade sempre fez e vai continuar fazendo besteira.

        Antes do dia 7 de agosto, os fumantes podiam fumar em restaurantes que possuissem “locais próprios” para o consumo (ainda que nós 2 saibamos q isso fosse piada). O fato é que tal direito foi retirado dos fumantes e, honestamente, acho bom, pois em local fechado a fumaça realmente incomoda.

        Contudo, o que foi esquecido é que a legislação foi além de simplesmente proibir o fumo em locais fechados, ela passou a proibir o fumo em locais “semi-abertos”, por assim dizer, visto que um simples toldo na rua já caracteriza o local como impróprio para o consumo do cigarro.

        No mais, também deve ser lembrado que uma das funções do Estado é construir uma sociedade livre, justa e solidária (art. 3º CF), e quando o Estado diz que um fumante não pode fumar em um lugar aberto, porém, com toldo, e, se for o caso, que ele precisa tomar chuva para poder fumar, você diz que ele é menos digno de estar lá do que qualquer outra pessoa, e então acaba solidariedade, a justiça e, obviamente, a liberdade (jurídica)… e ai começa a discriminação.

        Não permitir o fumo (vício, logo, incontrolável) em locais “semi-abertos”, é tão grave quanto qualquer outra forma de discriminação.

        Então chega alguém e fala “… ah, mas fumante é minoria”, e eu digo, negros e judeus também são, e a função do Estado é evitar a discriminação, e não incentivá-la.

        Primeiro você acaba com o vício, e então, nem lei proibindo se faz necessária. O problema é que político pensa ao contrário, primeiro é feita a proibição, pra ver se, algum dia, o vício acaba…

      • @Jorge Araujo, O AI-5 foi “uma opção do legislador a que ora se apresenta”.
        Nem porisso foi justo.
        Se eu tirar a roupa no meio de uma boate, além das vaias o que acontece? Eu sou preso, mas o comerciante não paga multa.
        O que me incomoda é a burrice dos legisladores atuais que por comodismo e ineficiência usam recursos como este.
        Outra imbecilidade é proibir a venda de bebidas alcoólicas na beira das estradas, e só das federais.
        De que adiantou isso? Só os comerciantes da beira da estrada federal tiveram prejuízo.Quem viaja de ônibus também não pode beber? Será uma opção da bancada evangélica?

        Considero as duas opções legilativas totalmnete absurdas, sem demérito da intenção.

      • @Antonio,

        O AI-5 foi um Ato Institucional baixado por um governo autoritário. Não foi lei em sentido estrito, pois não passou pelo Parlamento, pelo contrário, o dissolveu.
        Se você tirar a roupa no meio de uma boate é dever do proprietário da boate fazer com que você seja retirado, pois ele poderá responder perante os demais clientes, pois ele é o responsável por fazer observar a ordem dentro do estabelecimento.
        Tanto que os estabelecimentos de diversão tem que contratar seguranças para atuar.
        Os empregadores têm responsabilidade pelos atos de seus empregados, assim como os comerciantes devem fazer observar dentro de seus estabelecimentos a lei vigente.
        As opções legislativas nem sempre são as melhores, por isso podem ser revogadas. Mas não confunda, por favor, isso com as normas da época da Ditadura.

      • @Paulo Costa, fIM DA PICAD? t´LOOOCO MEU? nÃO PODE NEM FALAR NISSO! Só pode falar mal do cigarro que dá lucro para a burguesa Souza Cruz! Mas a picada não! Tem gente graúda com lucro aí….

      • @Jorge Araujo,

        Não concordo como cigarro x comida x garçon. Fumar em ambiente fechado deve ser proibido mesmo, sou à favor.
        Chateia o fato de todos serem à favor da cobrança de impostos sobre os cigarros, mas, não de o governo proibir a venda e apoiar os que “resolverem parar” ou de haver um espaço para quem fuma e respeita os “não fumantes”.
        Os fumantes pagam igualmente os impostos para “ter direito a…”, não importando se serão gastos para cuidar da saúde de uma anoréxica, de um obeso mórbido, de um doente de cirrose, de um “rinítico” etc etc etc.
        Para não extender a discussão, me responda somente uma coisa, onde ficam os “meus diretos”?

  9. Estou muito chateada com a forma que essa lei entrou em vigor. Sou fumante e sempre tive bom senso. Sei que ninguém é obrigado a conviver com a minha fumaça e quando estou em um lugar que não pode, simplesmente não fumo.
    Mas, a forma que esta lei nos foi “imposta” é simplesmente inadmissível. A venda do cigarro continua liberada, por que será? Pago meus impostos como todo mundo e agora tenho que “aturar” olhares e comentários preconceituosos?
    Gostaria de receber uma “BOLSA CIGARRO”, pois, o remédio para quem quer parar de fumar não é barato, e nesse ponto o governo não demonstrou interesse nenhum.
    Sei que nem todos tem “bom senso”, coloquem normas, multas e tudo mais, proibam o fumo em determinados locais, porém, não interfiram no livre-arbítrio e nos direitos de ninguém, isso é muito feio.

      • @Jorge Araujo, Uma campanha educativa, ou mesmotratamentos financiados pelo governo seriam mais compatíveis com a liberdade de opção individual.
        Quem sabe, ainda, proibir a venda e fabricação de cigarros?

      • @Jorge Araujo, Eu só quero a garantia da igualdade constitucional com os “fumantes” da cracolândia…
        Ou com os bêbados ao volante que só são presos quando a TV está presente ou ficam inconscientes.
        Ou com os outros tantos usuários de outras drogas que causam males e despesas também vultosas e não são incomodados.
        Que tal fiscalizar as bocas de fumo e coca da mesma maneira? Será que elas dão lucro maior do que os impostos dos cigarros? Para quem?

  10. Concordo numa Lei benéfica a todos, porém é muita hipocrisia os mesmos políticos que contribuíram para que a massa fumasse num passado agora são contra. E outra coisa mais grave ainda, essa lei só veio para que o preconceito contra os fumantes fique mais intenso, o que prova com alguns comentários vistos na Internet , mas que agora está mais propicio pois tem uma Lei para o embasamento. É isso aí pessoal se deixem levar por isso e contribuam para que a Constituição seja rasgada por um bando de ladrões. Mas enfim, se eles conseguem fazer isso excluindo uma parte da sociedade, tenho medo do que mais eles com seus poderes possam fazer.
    Não fumo, acho que tem lugar para todos dentro da sociedade, não discrimino e o direito não pode ser tirado de uns para satisfazer outros. Fica como reflexão.

  11. nunca consegui fumar, embora tentasse varias vezes, pois meu pai e parentes eram todos fumantes, o que acontecia comigo?me achava um verdadeiro idiota quando colocava um cigarro na boca, uma maria vai com as outras, e não um homem dono da minha própria vontade, ja que se analizarmos bem o ato de fumar foi induzido através de propagandas, por meio dos atores de cinemas que apareciam em carrões e garotas fumando, aquelas atitudes, um homem deve ser homem ser ele mesmo, e não se completar com um cigarro.

  12. Recomendo ao Dr. Jorge Alberto e a outros, que estão inclinados a defender a lei, verificarem o INTEIRO TEOR da SENTENÇA proferida ontem.

    Todos sabemos que o fumo é um grande mal, que os garçons estão expostos (pelo descumprimento da lei federal já vigente – não por falta de lei estadual), que perdemos muitas vidas e dinheiro com o cigarro, etc.

    O que o Juiz pondera é que, para resolver o problema do cigarro, será necessário investir uma montanha de dinheiro e mobilizar diversos setores, sendo que há falta de recursos materiais e financeiro para o atendimento de necessidades básicas.

    Aponta o Magistrado, por exemplo, que a campanha é mais voltada para a FISCALIZAÇÃO dos estabelecimentos e pouco se fala na parte do TRATAMENTO. Consta na sentença que a procura por este tipo de serviço, pelos fumantes, é grande, assim como a fila para conseguir ingressar em um programa.

    Questiona por que não se investe em medida para reduzir a poluição ambiental (gasolina mais limpa, inspeção em carros velhos, etc); questiona por que não se investe em educação do trânsito, que também mata muito, etc. Entende que não há razão para esta predileção pelo TABACO.

    Evidentemente, não teria como abordar todos os pontos de uma sentença de 75 páginas, com muita informação.

    Verdade que o cerco contra o TABACO está se fechando em todo o mundo: Europa, EUA, aqui mesmo na América Latina – no Japão, nem tanto. Por que será?
    Verdade também que a própria indústria do cigarro, com histórico de sempre estar ao lado dos donos de bares e restaurantes, sempre encontra argumentos a favor de seu negócio, capaz de sensibilizar muitas mentes.

    Creio que tudo teria de ser colocado para o debate, antes da aprovação. Só que foi tudo feito por “nossos representantes”. Não tenho ponto de vista formado ainda sobre o assunto.

  13. Olá, estava passando, e vi o site. Assunto de muita polêmica não é mesmo?
    Vim aqui deixar a minha opinião. Concordo com a Lei anti-fumo, mas discordo à discriminação (se houve alguma, porque eu não vi), mas esse “problema” já vem se arrastando há anos. E eu concordo com a Decisão. Porque?
    1- Os fumantes poderão fumar, em áreas próprias, ou que corra ar livre. Ninguem é obrigado a respirar a fumaça do tabaco do fumante.
    2- Todos temos direitos de ir e vir certo? Certo. Logo, fumantes podem fumar, Não-Fumantes podem respirar ar limpo. Logo, Fumantes não podem fumar, onde Não-Fumantes respirem ar limpo (no caso, lugares fechados).
    3- O Vídeo feito, e postado logo a cima, foi feito com um tom de sátira. E não de discriminação. E se vocês observarem, o que o personagem à direita faz, é como se fosse a um ato de fumo, mas natural. E mesmo assim é desconfortável, por isso ninguém o faz, e tem vergonha disso. Por isso ninguém (ainda) criou uma lei anti-peido (anti-pum, anti-gases, como quiser).

    Espero ter ajudado no entendimento do post.
    Muito bem escrito e elaborado. Parabéns ao Editor.
    Marcelo.

  14. Realmente senhores, um erro não justifica o outro. Porém, acredito que haveria mais inteligência e respeito ao ser humano se os problemas mais importantes fossem resolvidos primeiro, e não os problemas da moda.
    A verdade é um estado lógico, depende das bases usadas para deriva-la. Ai está “o problema”, vivemos em um momento de nossa cultura onde os valores se perdem, não existem definições mínimas, ou seja moral e ética. Temos sim uma base móvel de valores, que se transforma ao bel prazer de quem pode pagar por isso de um lado, e do outro pessoas prontas a aceitar tudo que possuir uma determinada forma, muito mais pela estética do que pela crítica racional de valores. O que isso significa ? Que enquanto as coisas estiverem assim, qualquer bobagem que seja anunciada, sempre vai encontrar um legião de hidrófobos de plantão, se for assunto de alguma novela então. Logo depois os políticos assumem a liderança e está feito, com embrulho de democracia e timbre de vontade do povo. Enquanto travamos a cruzada contra o cigarro, até vir a próxima moda, podemos assistir passivamente ao consumo de outras drogas piores sendo usadas a luz do dia e em público. Para ver isso basta andar no centro de São Paulo durante o dia, mas isso no momento não faz parte das prioridades nacionais, sinto uma certa semelhança com aquele livro do Aldous Huxley (Brave New World) – Admirável Mundo Novo. Mas fazer o que? Enfim somos papagaios bem adestrados…

    • @Carlos Tomaz, Saudações!
      -Adorei seu comentário pois tem um fundamento lógico em relação as medidas que o governo do estado tomou de forma ARBITRÁRIA e anti democratica ao tabaco.
      Penso que tal lei não veio para ajudar os não fumantes e sim,abrir uma “onda” de leis que virão para o nosso amado estado de São Paulo e que nos privarão de nossa liberdade tão sofrida e obtidade com o sangue de nossos irmãos que lutaram contra a ditadura miliitar nos anos 60 e 70 no Brasil.
      Aliás,não foi o digníssimo governador José Serra nos tempos da ditadura perseguido por leis arbitrárias vigentes na época? Bem,me decepcionou muito ele por ter sido exilado para o Chile na época do regime,ter aprovado uma lei como esta.
      Não obstante, a indústria do cigarro continua ai….e quem teria coragem de tirar ela deste cenário econômico brasileiro? Ninguém.É mais fácil atacar os fumantes que fechar a Souza Cruz no Brasil.O governo federal recolhe de imposto da mesma, 78% por CENTO.Sim,são 78 por cento de impostos sobre o cigarro e em nenhum momento eu vi o governador falar em fechar alguma distribuidora de cigarro,nem fazer campanha contra a mesma.Pois é, o ilícito continua e o fumante acaba de se rebaixado a pior de todas as categorias sociais neste país.Aliás.não só o fumante,outras pessoas que não tem recursos para viver e ter dignidade também .Há tantas pessoas descriminadas que nem imagino onde pode caber neste país de “modistas e amantes da ditadura”.
      Bem,como o próprio Serra disse,”90 por cento da população”apóia tal medida.Será? Veremos nas eleições em 2010 se tais números são verdadeiros pois bem penso,fumante que é fumante não votará nele,não por causa desta lei mas sim, pela arbitrariedade da mesma.Não quero amanhã ter que acordar e ter que colocar “as mãos sobre a cabeça” ou passar dias em uma cela de prisão porque alguém acha que devo pensar como ela…lamentavel,acabamos de perder nossa democracia e voltar para trás no tempo.Viva a liberdade e viva a democracia.Silvio.

      • @Silvio Luiz,

        Amigos, o grande problema do cigarro é que o fumante, sob o pretexto de uma liberdade sua, viola a liberdade alheia de respirar ar puro.
        Não há nenhuma justificativa para que se possa admitir o direito do fumante em detrimento de uma pessoa que não quer respirar a fumaça de cigarro alheio.

      • @Jorge Araujo,

        Perdoem mas vamos aos fatos:

        Primeiro, os politicos mascaram se voltando contra o povo consumidor mas na realidade deveriam observar quem fabrica e quem revende que diga-se de passagem são os bares, boates etc…

        Segundo, os garçons sabem que caso proibam os fumantes eles vão perder vendas, sendo assim refletirá diretamente na economia individual de cada um.

        Terceiro, existe hoje áreas de fumantes e não fumantes, se eu não sou fumante e vou pra um ambiente onde possue fumantes claro que eu estou ciente das complicaçoes que posso ter.

        Pessoal me perdoem mas realmente restringir pessoas a lugares por causa do cigarro é totalmente descabido, sou fumante, mas realmente aprovaria a proibição da venda do cigarro, será que eles conseguem fazer isso? Sendo que se o cigarro não traz nenhum beneficio porque continua sendo vendido?

        Essa teria que ser a pergunta realizada aos elaboradores de leis como esta, que ao invez de realmente trabalhar em prol do povo o faz dividi-lo.

        Prefiro nem falar em relação a fumaça que os automoveis soltam no ar, e ai, será que voce não vai ser obrigado a respirar essa fumaça? Agora ar puro em sampa seria algo engraçado de se ver. Por favor se for usar esse argumento que a poluição do carro tem seus beneficios eu usarei o argumento que nos bares a maioria dos fumantes consomem mais e que pagam os salarios de funcionarios dos bares que de uma forma indireta colabora com esse profissional.
        Agora que eles tambem proiba a venda do cigarro em lugares que não possa utiliza-los. Ae o bicho pega fogo, porque as grandes empresas do tabaco entrarão em cena.

      • @Jorge Araujo,
        []” Amigos, o grande problema do cigarro é que o fumante, sob o pretexto de uma liberdade sua, viola a liberdade alheia de respirar ar puro.[]

        Se for partir do ponto ” Ar Puro “.Tem que ser sancionada uma lei onde proibe qualquer veícuilo automotor de circular , pois eu não possuo nenhum e to respirando poluição graças a eles.

    • @Carlos Tomaz,
      Olá,
      Concordo plenamente com seus argumentos, tratou do assunto com clareza e discernimento.
      Graças aos politicamente corretos, defensores de todos os modismos os assuntos importantes deixam de serem abordados. O respeito a liberdade deixa de existir!
      O cigarro é péssimo, mas gera emprego e renda, estamos falando de quantas famílias que tem seu ganha pão ligado a essa industria? Que farão, engrossarão o bolsa família? Os cidadãos fumantes, pagam impostos, votam e tem direito de serem tratados com dignidade e não devem ser excluídos como bandidos.
      Enquanto os politicamente corretos discutem o tabaco, não estão observando o movimento para a aprovação da maconha.
      E será que os legisladores contra o fumo não foram induzidos pelos defensores da maconha, vejam que cômodo, toda a estrutura já estará pronta, os fiscais contratados e assim ao aprovação será praticamente automática.
      Mas não há fiscais disponíveis para o uso do crack, da cocaína e das outras drogas, e nem haverá, continuará rolando solta nos bares, boates e ruas. Que escala de valores é essa “senhores defensores do politicamente correto”?
      Quanto à insalubridade dos profissionais, basta adequarem o salário a isso, se é que já não esta incluída na categoria. A maioria das profissões oferecem algum tipo de risco, nem por isso deixaram de existir, devem se habilitar a essas funções aqueles que não se sentirem muito lesados, e pelo risco recebem insalubridade.

  15. Realmente você está corretissímo nesse ponto, mas o que você Renato Dias não pode esquecer é que um erro não justifica o outro, não é porque o carro polui que você vai ficar poluindo por ai com seu cigarro ( mesmo que seu cigarro polua menos). Apesar de ônibus, carros e motos poluirem, eles tem sua utilidade para a população, e o cigarro que além de poluir, trazer doença, faz com que as pessoas gastem um dinheiro que não voltará. Hj apesar de caro e tudo mais, nós vemos esforços da industria automobilistica em desenvolver carros limpos e economicos, e a industria do fumo. Está desenvolvendo cigarros que não viciam??????? cigarros que não provoquem cancer???? que não tragam impotência???????? Cara, volto a repetir , sua idéia não é errada, mas um erro não justifica o outro.

  16. É incrível como algumas pessoas, sem eira nem beira, desfilam comentários sobre leis e atitudes sem a mínima preocupação de olhar para fora delas para falar algo como a lei anti-fumo.
    Acho antipático e virulento despejar comentários sem a mínima noção de leis e costumes, principalmente, quando não assinam o texto.

    O fumante é, antes de tudo, uma pessoa que foi iludida pelo glamour das propagandas em épocas de pouco discernimento em função da pouca idade, que, com o tempo, não teve condições de largar o vício.
    Culpar o fumante por todos os males da humanidade é indecente e imoral.
    Quem é contrário ao fumo já se perguntou por que as pessoas fumam, bebem, usam drogas, etc., etc?

    Quem é mais prejudicial: O cigarro ou o ar poluido pelos automóveis, ônibus e caminhões?
    A nossa gasolina contém uma série de componentes cancerígenos e muitos outros que podem provocar as mais variadas doenças. Alguém reclama?

    O sujeito que dirige um carro, moto, ônibus, caminhão, barco ou até mesmo aeronaves sabe que está poluindo muito mais que muitos fumantes juntos?

    Vamos pensar de forma clara e procurar ver o que muitas leis escondem quando são criadas.
    Vamos deixar de hipocrisia.

    Renato Dias.
    Belo Horizonte.

      • @Jorge Araujo,
        Desculpe, mas sou novato e a tréplica não me parece viável aqui, dentro do mesmo tópico.
        O AI-5 foi um Ato Institucional baixado por um governo autoritário. Não foi lei em sentido estrito, pois não passou pelo Parlamento, pelo contrário, o dissolveu.Sim mas se o parlamento foi dissolvido, independentemente das razões, a lei devia partir do legislador de plantão que no caso eram os mesmos. Logo,O AI-5 foi “uma opção do legislador a que ora se apresenta”.
        Nem por isso foi justo.
        Mas por que não aplicar as mesmas medidas no caso dos fumantes, como acontece nos ônibus e aviões?
        Por que só os donos de bares e restaurantes são penalizados?
        Eu não confundo com as normas do que se chama de ditadura.
        Tenho certeza que estas normas atuais são os primeiros passos da verdadeira ditadura que teria sido imposta àquela época, como eum outros Estados.
        Daqui a pouco estaremos fechando rádios e televisões.
        Há que se parar de fazer leis que defendam quem está errado, sejam políticos corruptos, traficantes ou maus funcionários.
        Gostaria de ler seu comentário sobre o outro assunto que mencionei.
        Abraço.

    • @Renato Dias, Eu axo que vc eh um idiota cara…

      pra começar a gasolina eh indispensável a nós.. ou vc gosta de andar a pé?? sim pq ate oninus usa combustivel se vc nao sabe.. e hoje em dias mta gente nova fuma.. e ja tinha dicernimento para saber q isso nao eh bom.. sua liberdade começa onde acaba a minha.. rapaz

    • Trata-se de algo muito SUTIL e que os fumantes não estão aptos a perceberem, devido ao egoísmo característico de quem fuma: o ar poluído pelos automóveis, normalmente acaba sendo admicível, tendo em vista o benefíco que o transporte traz à todos nós! O fumante é apenas um egoísta!!! Ele não beneficia NINGUÉM com a fumaça de SEU cigarro. Não beneficia nem aos outros, nem ao planeta e nem a si mesmo!! Enriquece as multinacionais e adoece os pulmões. Como não percebem que o ar já está suficientemente poluído pela gasolina, que vc mesmo diz estar cheia de substâncias nocivas? Não somos seres ANAERÓBIOS. Precisamos respirar, os pulmões foram feitos para isto e não para tragarem fumaça! E sobre a razão do fumante fumar, rsrsrs a psicologia diz ser falta de carinho. TRata-se de CARÊNCIA, e falta materna (inclusive para educar o filho a não se tornar umf umante) . O gesto de fumar, remete ao ato de sugar o leite materno… coisa mais sutil ainda de explicar… e tarefa árdua para alguém que respira fumaça, entender.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.