Início Direito Counter Strike? Por que não proibiram o Pica-Pau?

Counter Strike? Por que não proibiram o Pica-Pau?

242
9

A decisão de proibir a venda do Counter Strike[bb] e de outros jogos (games?) “violentos” é incompreensível.

Não tive uma experiência tão rica como o autor do blog GuraveHaato em videogames, mas na minha infância assisti muito Pica-Pau, Pernalonga, Papaléguas, Tom e Jerry e a atuação destes personagens não seria o que se pode considerar como politicamente correta, ao contrário eles ridicularizavam e maltratavam os seus coadjuvantes, freqüentemente com objetos cortantes, contundentes ou explosivos.

E tudo isso para um público infantil, sem qualquer recomendação de faixa etária ou coisa que o valha, nada obstante fosse ainda época da famigerada Censura Federal.

Aliás na minha adolescência era muito comum que jovens se aglomerassem em salas de jogos eletrônicos, ou fliperamas, onde podiam apreciar o que havia de mais moderno em jogos de guerra e matar quantos soldados, bandidos ou alienígenas lhes aprouvesse.

Isso, ao que me consta, não criou uma geração de criminosos, reprodutores de suas atrocidades eletrônicas na vida real.

Ao contrário os expectadores dos desenhos animados hoje se divertem com seriados como Friends[bb], Lost[bb], Heroes[bb], House[bb].

Quem se corrompeu, como sustenta com correção GraveHeart, foram os excluídos, aqueles meninos que ficavam na rua, abandonados pelo Estado, que não lhes fornecia (e ainda não fornece) educação integral, enquanto os que tinham um pouco mais de condições estavam nas suas casas, jogando River Raid, Pac Man, assistindo o Pica-Pau ou na aula de natação.

Jogos de guerra sempre existiram. O xadrez, do recém falecido Bobby Fischer[bb], é um War Game, assim como damas, gamão, futebol… são todos situações que reproduzem uma guerra em que dois exércitos, distintos pela cor dos uniformes, disputa determinada coisa, vencendo aquele que derrota o adversário seja através de um ataque fulminante ao seu líder, o Xeque Mate; a aniquilação do inimigo, como nas damas, ou por número de tentos em um determinado período, no futebol.

Assim como sempre assistimos atrocidades em filmes de guerra (Rambo[bb], por exemplo) sem que saíssemos com uma escopeta ou bazuca a derrotar nossos inimigos da escola (tudo bem os americanos fazem isso, mas isso quem deve analisar é a sociologia de lá).

E um dos únicos casos em que isso ocorreu (aquele maluco que atingiu oito pessoas em um cinema de shopping) apenas corrobora a constatação da sua raridade, uma vez que o fato ocorreu em 1999 e desde então não se tem notícias de repetição.

Considerar que o jogo Counter Strike é nocivo (ou impróprio para o consumo) apenas porque retrata uma situação de conflito policial em uma favela carioca é de uma hipocrisia sem precedentes. Como também fomos hipócritas ao criticar o filme Turistas[bb] – péssimo por sinal – apenas pelo fato de se passar no Brasil, como se não fosse comum que estrangeiros em trânsito pelo país sejam vítimas de violência

Impróprio para o consumo humano é o próprio Rio de Janeiro e, conseqüentemente o Brasil, lotado de criminalidade e balas perdidas, onde é mais fácil morrer de forma violenta do que em zonas de guerra declarada.

E nada obstante será palco de uma Copa do Mundo e ainda aspira o ser de uma Olimpíada.

Também escreveu sobre isso:

9 COMENTÁRIOS

  1. Olá,

    Eu jogo Counter Strike há anos, que posso dizer de uma decisão dessas do juiz?
    Talvez apenas uma palavra resuma: “ridículo”.
    Nosso pais está cada vez mais tomado pela violência, trafico de drogas, falência do sistema prisional. Porém não é com esses jogos que os traficantes praticam pode ter certeza, eles tem AR-15, AK-47, granadas “reais e não digitais”
    Excelentíssimo Sr. Juiz, já assistiu a um documentário sobre tráficantes no RJ? Acha que marginais vão até uma loja, compram o Counter Strike para aprender a usar uma metralhadora Maverick num computador? Acha mesmo que um jogo ensina pessoas a ser marginais, traficantes e assassinos? Esses criminosos de nosso pais não cresceram jogando Atari, Odissey, PlayStation e Counter Strike; esse povo cresce soltando pipa no morro, cresceram sim na miséria, na má distribuição de renda, na impunidade aonde se escondem nossos parlamentares, na corrupção que desvia recursos para educação, saúde, habitação e qualidade de vida para todos.
    Já se perguntaram porque americanos, europeus, japoneses vivem com um padrão de vida, cultura, educação invejáveis???
    Eu respondo: Porque esses povos pensam numa nação como um todo, aqui é cada um por si, os políticos passam a vida toda criticando corruptos, mas quando se elegem… roubam assim como aqueles que criticavam.
    Precisamos esquecer a censura e ditadura de décadas anteriores, vivemos numa democracia.
    Estou cansado de assistir a essa demagogia de nosso pais:
    Somos obrigados a votar para depois assistir calados a “imunidade parlamentar” ao “voto secreto de Correligionários”.
    Somos obrigados a parar em semáforo com radar, mas é justamente lá que o bandido sabe e onde fica a espreita.
    Somos obrigados a assistir a uma menor de 15 anos, presa e sendo estrupada a toda hora por mais de 30 homens e isso debaixo da venda da justiça, afinal a justiça é cega não é o que dizem?
    O Counter Strike não ensina táticas de guerra, é apenas um jogo de um time contra o outro assim como vários e vários no mercado de games.
    Essa lei é como tentar barrar uma formiga, mas deixar passar um elefante…

    Atenciosamente,

    Paulo Coelho

  2. Não sei a opinião da maioria, mas no meu entendimento existem diversas coisas bem mais graves do que isso e com maior impacto sobre mentes jovens. Não vejo ninguém fazendo alarde quanto à proibir (se isso fosse possível) o famigerado “rap das armas”. Esse sim é bem nocivo com sua apologia ao crime descarada, mas que as crianças cantam porque são tocadas nas rádios, festas, etc. E não percebem que cantam versos que incitam morte à policiais, rivais, etc. No BBB8 uma participante inclusive sugere vontade de consumir drogas ilícitas em festas. Esses casos taambém não são nocivos? O BBB nesse caso também não seria enquadrado como um produto impróprio para consumo? Se bem que na minha opinião ele realmente é. Abraços.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.