Ainda sobre a Pirataria de Software

    145
    0

    Na semana que passou apresentamos um texto um pouco provocativo acerca das distinções entre furto, roubo e apropriação indébita no qual buscávamos apresentar aos leitores uma contradição existente na prática das empresas de software e outras detentoras de direitos autorais de comparar o usuário eventual de cópias não autorizadas de produtos de software, áudio ou vídeo com um ladrão de carros.

    Não que entendamos legítima a prática que visa a lesão dos direitos autorais. Todavia, conforme alguns comentários no artigo original já anteciparam, as práticas das empresas muitas vezes é tão ou mais lesiva do que a dos meros usuários finais, que, sem o fim de lucro, acessam seus conteúdos.

    Antes de mais nada, para que não deixemos sem resposta os leitores que foram provocados para se posicionassem quanto à figura do crime de quem se utiliza de software protegido, convém referir que a norma que trata sobre estes ilícitos é a Lei 9.609, de 19 de fevereiro de 1998, que tem como ementa o seguinte: “Dispõe sobre a proteção da propriedade intelectual de programa de computador, sua comercialização no País, e dá outras providências.”

    Esta norma comporta algumas incongruências, mormente no que diz respeito aos produtores estrangeiros. Ocorre que o produtor de software estrangeiro, que não tem sede no território nacional fica de certa forma deslegitimado para exigir o cumprimento da lei, tendo em conta que não oferece a contraprestação necessária do contrato de licença do produto que, antes de ser regida pelos unilaterais “licenças de usuário final”, ou EULAs, deverá estar subordinado à legislação vigente no território nacional, ou seja Constituição e leis, aí incluindo-se, por exemplo, o Código de Defesa do Consumidor (CDC).

    E o CDC exige que o fornecedor de produto responda com assistência técnica pelo produto vendido o que, via de regra, não é obtido do fornecedor estrangeiro que, por igual, não se subordina à legislação consumeirista local e, tampouco, faz abatimento por decorrência da falta na prestação deste serviço.

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.