Técnicas de interrogatório. Leitura corporal.

Em artigo no site da PoliceOne.com John Bowden autor de “Interview to Confession, The Art of the Gentle Interrogation”, apresenta algumas boas noções de técnicas de interrogatório. Bowden sustenta que os tipos de linguagem corporal se dividem em duas categorias. “Verdade e Mentira” e, a seguir, em comportamento Positivo ou Negativo. Verdade/Mentira versus Positivo/Negativo As duas categorias de Verdade …

Perguntas argumentativas…

Manuel Atienza, nas aulas de seu Curso de Teoria da Argumentação em Alicante, assevera que o interrogatório é uma forma de argumentação. E com efeito, ao se realizar um bom interrogatório se estará, muitas vezes, demonstrando ao julgador acerca da pertinência de sua tese e, em muitas outras, demonstrando, inclusive ao próprio depoente, o absurdo …

Depoimento testemunhal e credibilidade.

A questão da credibilidade da testemunha é muito importante, mas pouco explorada e menos ainda compreendida. A utilização de técnicas de leitura corporal para a identificação de mentira pode gerar situações paradoxais. É o que Paul Ekman chama de “Erro de Otelo”, com base na Tragédia Otelo, de William Shakespeare, em que o protagonista, é …

Breve ensaio sobre a mentira.

Férias sem viajar é coisa do capeta. Depois de assistir Rashomon, resolvi continuar pesquisando na internet sobre teoria do depoimento e interrogatório. Daí que eu achei uma dissertação muito interessante sobre o tema de Leila Aparecida Chevtchuk de Oliveira do Carmo. Vai então que logo no começo da sua obra a Laila faz referência a uma obra do …

Rashomon, da Akira Kurosawa

Acabo de assistir Rashomon, de Akira Kurosawa. É um filme de 1950, que é uma referência internacional para a análise de depoimentos testemunhais, na busca da verdade real. O filme é baseado em um conto homônimo de Ryunosuke Akutagawa. O filme descreve um estupro e assassinato através dos relatos amplamente divergentes de quatro testemunhas, incluindo …

59ª Feira do Livro de Porto Alegre – sugestões de compras.

Hoje, finalmente, dei uma passada pela Praça da Alfândega para olhar as novidades da nossa tradicional Feira do Livro. Olhei com uma curiosa atenção os famosos “balaios” onde antes, na ânsia de aumentar a minha incipiente biblioteca eu pescava “preciosidades”, muitas das quais até hoje não li. Atualmente, mas preocupado com a falta de espaço …