Categorias
Direito

Vale a Pena Adquirir o Auto Expresso?

Hoje fui obrigado a trocar meu Cartão CONCEPA na Casa Freeway. O saldo zerou e a CONCEPA resolveu descontinuar o serviço em benefício do novo sistema, o Auto Expresso.Só nesta operação já fui roubado em R$ 1,00. Explico: adquiri o Cartão CONCEPA logo quando da sua implantação, por R$ 5,00. Conforme contratado o valor corresponderia apenas a uma espécie de depósito, ou seja eu seria reembolsado deste valor ao devolvê-lo. Pois bem não fui. Ao que consta logo após o pagamento do depósito o valor foi reduzido para R$ 4,00 e apenas neste valor fui reembolsado. Com certeza com minha cara de mau-elemento não consegui convencer a proposta da empresa de que pagara o valor maior – eles são treinados para identificar pessoas que de má-fé buscam lesar a empresa mesmo no significativo valor de um real.

Pensei em reclamar, sapatear… por um real? Na verdade não tão pouco. Considerando o tempo em que havia efetuado o depósito seria justo que houvesse uma correção, ainda que a inflação não esteja tão alta, mas tudo bem, o prejuízo não deverá chegar a dois reais.

O lucro é que deve ter sido grande. A empresa com certeza auferiu muito dinheiro apenas trabalhando com os créditos, pagos antecipadamente, e aos quais não remunerava. Mas, tudo bem, compensava o benefício de “furar” diversos apressadinhos que íam me ultrapassando até a chegada da praça de pedágio, vendo-os parados no final da fila para o pagamento cash enquanto passava lépido pela cancela automática.

No entanto se já tenho queixas em relação ao cartão, imagina o que será este novo produto, que o substituirá, o Auto Expresso.

As informações não são precisas. A CONCEPA diz que o serviço não é seu, mas de uma tal de DB TRans que, contudo, no seu sítio não fala nada sobre ele.

O que se noticia no sítio da CONCEPA – ainda assim apenas quando aparece o banner – é que será instalada uma espécie de tag no vidro do veículo e, ao aproximar-se do pedágio bastará reduzir a velocidade que um equipamento eletrônico identificará o veículo, lançará o valor, abrirá a cancela e, maravilha das maravilhas, debitará automaticamente em conta-corrente do condutor.

A grande pergunta que fica é: e se o valor for incorreto? O usuário abre a sua própria conta bancária para que a empresa faça um saque no valor que bem entender. Clonagem, erro, má-fé… diversos outros fatores poderão incidir para que o saque seja incorreto, quem sabe absurdo. Se for de centavos, alguns reais, dezenas ou centenas, quem sabe milhares de reais… o usuário terá que se sujeitar ao débito e, quem sabe, à boa vontade da empresa em apurar e, muito possivelmente, não restituir os valores.

Há! E tem mais um detalhezinho: ainda tem um pagamento fixo mensal…

Na foto abaixo alguns dos felizes usuários que aderiram ao sistema.