Desoneração da folha e terceirização.

Com a desoneração dos 20% de contribuição previdenciária incidentes sobre a folha de pagamento, que se transformará em uma alíquota de 1 a 2% sobre o faturamento, as empresas podem começar a repensar e, quem sabe, reverter a crescente onda de terceirização, aliás como já noticiam alguns sites e jornais.

O cálculo é simples: ao terceirizar as empresas se obrigam a pagar às prestadoras de serviços uma valor que deverá incluir as remunerações dos trabalhadores colocados à sua disposição e o lucro destas. Detalhe: as empresas prestadoras não estão incluídas dentre as desoneradas, ou seja continuaram a pagar a seus empregados os 20% sobre sua folha.

A partir de agora, portanto, em se tratando de atividade essencial (ainda que de forma secundária) para a empresa, será muito mais interessante contratar diretamente o trabalhador, inalterando o valor da contribuição previdenciária (que é sobre o faturamento), do que se sujeitar a arcar, além da remuneração do trabalhador terceirizado, com o percentual de 20% referente aos encargos previdenciários e o lucro da empresa prestadora.

A ver…

Calculando o Salário de Chegada

Calcular a folha de pagamentos é motivo de muita dor de cabeças

Não me proponho e não posso atender a consultas de leitores em casos concretos. Até porque posso ser instado a solucioná-los. Para isso sugiro que seja consultado um advogado especialista em Direito do Trabalho que, no caso de algum problema, poderá através dos meios próprios, prestar atendimento ao cliente até o final de eventual lide.

Entretanto sugestões de pauta são bem vindas. Quanto mais que às vezes o que parece ao especialisto óbvio, não o é para o leigo, que é o destinatário deste blog.

A correspondência abaixo foi-me enviada por um estudante universitário e propõe uma questão que pode assaltar o jovem empresário no momento de calcular a remuneração no momento de contratar.

Continuar lendo Calculando o Salário de Chegada