Categorias
Direito

A cara de pau da operadora.

Acabo de ouvir no rádio um anúncio de uma destas operadores de telefonia móvel cujas vendas de linhas foram suspensas pela ANATEL.

No anúncio, creio eu que imposto pela agência reguladora, a empresa informava que (1) se o usuário ficasse mais de duas horas sem sinal (2) poderia entrar em contato com o seu serviço de atendimento (SAC) para pedir um crédito correspondente.

Como assim cara pálida? A empresa me priva de sinal por mais de duas horas e EU é que tenho que constatar isso e EU é que tenho que ligar para o famoso SAC da empresa; EU terei que ficar várias horas pendurado em uma ligação que ao final vai cair para ganhar um crédito de poucos centavos, ainda sujeito à companhia impugnar esta minha informação por qualquer fundamento do tipo:

“a interrupção não foi por duas horas senhor, a interrupção ocorreu apenas por 1h58min30s e a norma da ANATEL é clara que apenas devemos ressarcir em crédito se a interrupção for superior a duas horas”;

ou pior:

“perfeito senhor, verificamos que houve, efetivamente, esta interrupção e vamos estar creditanto R$ 0,002 para a sua fatura de agosto”.

Sinto muito, mas isso não é um comportamento de empresa séria e que se interessa em cumprir as regras e respeitar o consumidor.

Categorias
Direito

Sky, ou como perder um cliente

Source: google.com.br via Jorge on Pinterest

Sou de um tempo em que empresas faziam promoções para captar ou manter cliente. A Sky inaugurou uma nova era: a promoção para incomodar e, finalmente, perder o cliente.

Explico:

Dia destes eu estava sem ter muito o que fazer e resolvi, por algum motivo visitar a página do Multiplus Fidelidade. Para minha surpresa o programa é muito bom. Fácil de acumular pontos e os pontos acumulados podem ser convertidos em prêmios de verdade. Por exemplo 5.000 pontos do Multiplus dá para trocar por R$ 90,00 em crédito de combustível Ipiranga, o que, convenhamos, é muito melhor do que ficar acumulando milhas para, quando temos uma viagem que nos interessa fazer, não haver lugares disponíveis para os vôos que queremos.

Acho que cheguei a trocar uns 15.000 pontos por combustível quando resolvi procurar outros prêmios. Logo encontrei um outro que me pareceu ainda mais interessante: a Sky oferecia, em troca de 40.000 pontos do Multiplus, seis meses do seu plano Top2011, devendo eu pagar exclusivamente, uma pequena taxa mensal, durante este período, de R$ 12,00, o que representaria acesso a todos (ou quase todos os canais, sendo 36 em HD e, vantagem das vantagens, mais dois pontos HD Plus – aquele que grava.

Como o meu plano era um Top qualquer coisa, mas mais antigo, com apenas um ponto de HD Plus, achei que seria bastante vantajoso. calculando rapidamente eu teria uma economia ao longo destes seis meses de R$ 1.800,00 (conta os R$ 720,00 se eu trocasse exclusivamente por combustível) embora após isso eu passaria a gastar um pouquinho mais – meu plano atual é de R$ 297,00 – entretanto um ponto a mais de HD Plus era bastante interessante e compensava  despesa.

Fiz a troca e aguardei pacientemente o prazo de 30 dias em que se iniciaria o desconto e dentro do qual eu seria contactado pela empresa para proceder nas adaptações necessárias, em especial a instalação dos novos aparelhos. Me perguntem se houve algum contato da empresa neste período.

Bem, esgotado o prazo começou o estress. Em primeiro lugar ao entrar em contato com a empresa através do chat online eles simplesmente desconheciam a promoção e me mandaram ligar para o atendimento telefônico que, igualmente, em nada me auxiliou.

Resolvi apelar para as mídias sociais:

O resultado até que não foi ruim. A Sky parece ter uma certa preocupação com a sua imagem na rede:

A troca de tweets chegou a originar algumas ligações do “serviço de mídias sociais da empresa”, uma promessa da solução, e até o agendamento da instalação. Contudo até nisso a Sky furou. Na sexta-feita tive que os esperar a partir das 17h. Perguntem-me se apareceram. Perguntem-me se informaram que não aparecerima. Perguntem-me se reagendaram. Quem respondeu não às três perguntas anteriores acertou.

Vejam bem a minha situação. Eu estava mais ou menos satisfeito com a minha assinatura da Sky, que eu tenho há mais de dois anos. Tão satisfeito que achei interessante a oferta em que eu ficaria pelo menos mais 12 meses vinculado à empresa. No entanto por aderir à oferta da empresa agora eu já não tenho mais tanta certeza da viabilidade de manter o contrato.

O grande problema é que exatamente neste mesmo período a NET (que eu também tenho, mas principalmente por causa da conexão à Internet), me deixou sem conexão por mais de 72h, sem apresentar qualquer solução.

Nós, assinantes de TV a cabo, estamos em um mato sem cachorro.

Não nos esqueçamos que neste momento as empresas de TV por assinatura estão pedindo o apoio dos consumidores. Diante da iminente aprovação de projeto de lei em que serão obrigadas a ter programação nacional elas querem que nos coloquemos a seu lado. Merecem?

Categorias
Geral

LGE #fail

Alo @LGdobrasil! Aparelho por mais de RS 2.500,00 e uma etiqu... on Twitpic Da série coisas que não dá para entender: comprei um split novo da LGE.

Na hora de tirar a etiqueta do PROCEL – aquela obrigatória que registra o nível de consumo de energia – ela simplesmente se esfacela.

No lugar de fazer uma etiqueta de melhor qualidade que saia inteira meu split ficou esta meleca.

Totalmente #fail

Categorias
Direito

Cidadania digital caso @oboreli x @brastemp

O Sr. Oswaldo L. Borelli teve um problema com a sua geladeira que por cerca de 90 dias não funcionou em virtude de um defeito interno. O conserto do produto sairia mais caro do que uma geladeira nova o que ele, com toda razão, não se conformava.

O Sr. Oswaldo, através de YouTube e do seu Twitter botou a boca no trombone.

Como resultado a empresa procurou o consumidor e solucionou tudo de uma forma que lhe foi satisfatória.

Parabéns a ambos! O consumidor por exigir os seus direitos como tal e à Brastemp não apenas por solucionar o problema, o que não era menos que sua obrigação mas, principalmente, por ter se comprometido a reformular a sua política de atendimento.

Categorias
Direito

Lei nº 12.039, de 1º de outubro de 2009 – Altera Código do Consumidor

Download now or preview on posterous

Lei nº 12.039, de 1º de outubro de 2009 – Altera Código do Consumidor.doc (29 KB)

A lei ora publicada é um importante avanço. Talvez muitos leitores não tenham tido a experiência de tentar demandar contra empresas de cartão de crédito por cobranças indevidas.

Por mais incrível que possa parecer muitas destas empresas proprietárias de bandeiras conhecidas não tem um endereço publicado para receber intimações, dificultando sobremaneira que os clientes que se consideram prejudicados possam demandar contra elas.

Lei nº 12.039, de 1º de outubro de 2009 – Altera Código do Consumidor

Inclui dispositivo na Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, para determinar que constem, nos documentos de cobrança de dívida encaminhados ao consumidor, o nome, o endereço e o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF ou no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ do fornecedor do produto ou serviço.

O VICE – PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no exercício do cargo de PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1º A Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, passa a vigorar acrescida do seguinte art. 42-A:

“Art. 42-A. Em todos os documentos de cobrança de débitos apresentados ao consumidor, deverão constar o nome, o endereço e o número de inscrição no Cadastro de Pessoas Físicas – CPF ou no Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica – CNPJ do fornecedor do produto ou serviço correspondente.”

Art. 2º Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 1o de outubro de 2009; 188º da Independência e 121º da República.

JOSÉ ALENCAR GOMES DA SILVA

Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto

Este texto não substitui o publicado no DOU de 2.10.2009.