Categorias
Direito

Sky, ou como perder um cliente

Source: google.com.br via Jorge on Pinterest

Sou de um tempo em que empresas faziam promoções para captar ou manter cliente. A Sky inaugurou uma nova era: a promoção para incomodar e, finalmente, perder o cliente.

Explico:

Dia destes eu estava sem ter muito o que fazer e resolvi, por algum motivo visitar a página do Multiplus Fidelidade. Para minha surpresa o programa é muito bom. Fácil de acumular pontos e os pontos acumulados podem ser convertidos em prêmios de verdade. Por exemplo 5.000 pontos do Multiplus dá para trocar por R$ 90,00 em crédito de combustível Ipiranga, o que, convenhamos, é muito melhor do que ficar acumulando milhas para, quando temos uma viagem que nos interessa fazer, não haver lugares disponíveis para os vôos que queremos.

Acho que cheguei a trocar uns 15.000 pontos por combustível quando resolvi procurar outros prêmios. Logo encontrei um outro que me pareceu ainda mais interessante: a Sky oferecia, em troca de 40.000 pontos do Multiplus, seis meses do seu plano Top2011, devendo eu pagar exclusivamente, uma pequena taxa mensal, durante este período, de R$ 12,00, o que representaria acesso a todos (ou quase todos os canais, sendo 36 em HD e, vantagem das vantagens, mais dois pontos HD Plus – aquele que grava.

Como o meu plano era um Top qualquer coisa, mas mais antigo, com apenas um ponto de HD Plus, achei que seria bastante vantajoso. calculando rapidamente eu teria uma economia ao longo destes seis meses de R$ 1.800,00 (conta os R$ 720,00 se eu trocasse exclusivamente por combustível) embora após isso eu passaria a gastar um pouquinho mais – meu plano atual é de R$ 297,00 – entretanto um ponto a mais de HD Plus era bastante interessante e compensava  despesa.

Fiz a troca e aguardei pacientemente o prazo de 30 dias em que se iniciaria o desconto e dentro do qual eu seria contactado pela empresa para proceder nas adaptações necessárias, em especial a instalação dos novos aparelhos. Me perguntem se houve algum contato da empresa neste período.

Bem, esgotado o prazo começou o estress. Em primeiro lugar ao entrar em contato com a empresa através do chat online eles simplesmente desconheciam a promoção e me mandaram ligar para o atendimento telefônico que, igualmente, em nada me auxiliou.

Resolvi apelar para as mídias sociais:

O resultado até que não foi ruim. A Sky parece ter uma certa preocupação com a sua imagem na rede:

A troca de tweets chegou a originar algumas ligações do “serviço de mídias sociais da empresa”, uma promessa da solução, e até o agendamento da instalação. Contudo até nisso a Sky furou. Na sexta-feita tive que os esperar a partir das 17h. Perguntem-me se apareceram. Perguntem-me se informaram que não aparecerima. Perguntem-me se reagendaram. Quem respondeu não às três perguntas anteriores acertou.

Vejam bem a minha situação. Eu estava mais ou menos satisfeito com a minha assinatura da Sky, que eu tenho há mais de dois anos. Tão satisfeito que achei interessante a oferta em que eu ficaria pelo menos mais 12 meses vinculado à empresa. No entanto por aderir à oferta da empresa agora eu já não tenho mais tanta certeza da viabilidade de manter o contrato.

O grande problema é que exatamente neste mesmo período a NET (que eu também tenho, mas principalmente por causa da conexão à Internet), me deixou sem conexão por mais de 72h, sem apresentar qualquer solução.

Nós, assinantes de TV a cabo, estamos em um mato sem cachorro.

Não nos esqueçamos que neste momento as empresas de TV por assinatura estão pedindo o apoio dos consumidores. Diante da iminente aprovação de projeto de lei em que serão obrigadas a ter programação nacional elas querem que nos coloquemos a seu lado. Merecem?

Categorias
Direito

LG Renoir é lançado com uma certa dose de polêmica

LG Renoir
Foto do aparelho obtida em um site da empresa.

A contar do momento em que qualquer pessoa pode publicar, com um custo muito próximo do zero a sua opinião sobre qualquer coisa deveria ter soado um alerta vermelho em todas as empresas que têm na sua marca um valor patrimonial.

O fenômeno dos fãs de marca não é novo. Na primeira vez que fui a Nova York a maior parte dos produtos que adquiri tinha relação com a própria marca dos produtos. Havia lojas da Coca-Cola, da Warner Bros, Disney, além das gifts shops de musicais, museus, pontos turísticos, etc. Isso sem se contar nas roupas, que se exigiam com as grifes o mais visível possível. Na época eram GAP, Banana Republic, Armani Exchange, etc.

Nova é, justamente, a possibilidade de ela ser denegrida a partir apenas de uma certa concertação, via de regra decorrente mais da comunhão de opiniões do que de qualquer outro interesse de índole econômica ou comercial, como por exemplo no caso do Google bomb.

Assim as empresas anunciantes ficam um pouco reféns de sua imagem pública, a qual pode não ser exatamente a que eles próprios fazem. Isso foi mais ou menos o que aconteceu com a LG neste final de semana.

Isso demandaria um certo cuidado com a opinião alheia, principalmente publicada, como alerta o “Mestre do SEO“, em especial ao referir o último caso relacionado – o Dell Hell. Note-se que não exatamente como o ocorrido na minha postagem sobre o serviço do site de vendas da Saraiva na qual, claramente, os comentários são oriundos do pessoal de TI da própria empresa, contrariados com a reclamação, mas que nada alteraram a contar de sua ciência.

Conforme o Cardoso e o Jeff Paiva eles e mais 16 blogueiros (ou 18 no total) foram convidados para um evento destinado a promover o lançamento de um novo modelo de celular da LG, o LG Renoir. Este evento, para o que se recomendou uso de roupas leves, repelente, protetor solar e óculos escuros, vai ter cobertura através de um Streaming do BlogBlogs que publica desde ontem (sexta, 09 de janeiro) todas as publicações on line que tenham a tag “LGRenoir” como blogs, twitters, fotos no Flickr, etc.

Aproveitando-se desta “brecha”, Gravatai Merengue, livre pensador que em mais de uma oportunidade eu já afirmei admirar, resolveu publicar a sua opinião sobre a marca, produto e promoção, sendo que, diante a inconformidade de alguns respondeu com uma sentença que demonstra a sua desconcertante capacidade de utilizar a lógica em seu benefício:

Falar bem de um evento que não começou (pode); falar mal (não pode) – lógica? hm?

Dando uma breve olhada no aparelho através da internet (poderia haver alguma coisa mais técnica do que esta página, mas ok) e lendo as suas funcionalidades não me parece assim uma porcaria, como sustenta Gravatai. De outra sorte eu tenho uma experiência positiva com os produtos LG, cujo preço sempre foi bastante competitivo e cuja qualidade, pelo menos para mim, não se distingue muito de um Sony, por exemplo.

No entanto, antes de apagar as suas mensagens, seria mais interessante que a empresa se comprometesse a demonstrar a ausência dos defeitos apontados, ainda que o fizesse por meio dos blogueiros convidados. Não sei quem são os demais e o Jeff Paiva não é, exatamente, um técnico em tecnologia, no entanto o Cardoso em mais de uma oportunidade já se demonstrou ser um crítico sincero e honesto dos produtos que testou, já tendo, em mais de uma oportunidade, me influenciado em uma decisão de compra.

Vejam-se que a escolha de blogueiros para participar de qualquer evento sempre dá panos para manga, na medida em que, por serem centenas, senão milhares, os blogueiros da dita Blogosfera Brazuca se entendem com tanto direito quanto outros, já tradicionais, e que têm um público já cativo.

Atualização: Enquanto ainda escrevo o texto vejo na página do Live Strem do evento que também estão presentes Jonny Ken Itaya e o Manoel Netto, que considero igualmente habilitados para uma opinião isenta sobre o produto.


Quem não gostou da imagem que ilustra este artigo tem a minha integral solidariedade. Fiz uma pesquisa na rede para ver se havia alguma imagem mais aprazível, mas, infelizmente, a empresa não publicou nenhuma foto mais apresentável, sendo que a publicada foi capturada da página da empresa de uma animação em flash.


Vou estar presente no Campus Party para assistir alguns painéis a partir da quinta-feira. Pela manhã vou ver o Alexandre Sousa falando sobre blogs policiais (das 11h às 12h) e à tarde o debate em que participará o Gravataí Merengue sobre “O Direito conhece a Internet?” (entre 16h35 e 17h35min), isso se ele ainda for… Ambos os eventos são no “palco blogs“.

Finalmente pretendo ainda prestigiar a entrega do prêmio Best Blogs Brasil ao qual concorro na categoria blogs jurídicos. Aliás, você já votou?

Categorias
Direito

iPhone chega na Claro com uma bofetada na cara do consumidor

iPhone Claro

A Bia Kunze é dentista e especialista em tecnologia sem fio, mas também não é boba em Direito do Consumidor.

Aliás não é necessário ser nenhum gênio para ver que os planos da Claro relacionados ao iPhone são extremamente leoninos, que é como se denominam contratos em que o fornecedor de serviços tem vantagens desproporcionais às oferecidas ao consumidor, como é o caso dos “minutos” da Claro, que, embora pagos pelo cliente, em decorrência de seu contrato, não podem ser acumulados para os meses subseqüentes.

Isso sem se falar que o preço do produto é proibitivo e a “vantagem” oferecida pela empresa aos compradores consiste, tão-somente, na restituição de uma parte do valor pago, em créditos, ao longo de até 24 meses, o que, em outras palavras, nada mais é do que um plano de fidelidade.

Aliás eu pessoalmente tenho sérias dúvidas acerca da qualidade do serviço da Claro. Estou praticamente desde o lançamento da tecnologia 3G solicitando que me seja disponibilizada sem sucesso.