Categorias
Direito

Sem BBB este ano…

Todo ano eu faço algum comentário sobre o BBB, normalmente por ter alguma coisa a ver com o tema do blog, como por exemplo uma das participantes querer ser Juíza do Trabalho.

Este ano, pelo que pude verificar, o grupo é bastante medíocre. Com destaque para as preferências sexuais dos brothers, com um aumento na participação dos homossexuais (talvez para tentar copiar A Fazenda).

Por razões óbvias, não tenho o que comentar…

Censura ao BBB?

Enquanto pesquiso material para a minha exposição sobre liberdade de expressão na Campus Party, acompanho estarrecido em uma lista de juízes apoio à censura a realities do tipo BBB e A Fazenda.

Categorias
Direito

Robin Willians, Brasil e sexo.

Ainda repercute a declaração de Robin Willians sobre o Brasil ter amealhado as Olimpíadas de Chicago com a utilização de 50 strippers e meio quilo de pó. A jornalista Leila Cordeiro, que vive nos EUA, escreveu um artigo indignado.

No entanto, antes de ficarmos furiosos, temos que examinar tudo com uma certa distância científica. Em primeiro lugar tanto Willians quanto Letterman, âncora do programa no qual aquele deu tal declaração, são humoristas. Ou seja tentam dar um colorido divertido às suas manifestações, sendo comum que para isso se apele ao politicamente incorreto, como foi o caso do @RafinhaBastos ontem fazendo piada sobre o suicídio de Leila Lopes.

E agora, convenhamos, para quem vê de fora não é muito difícil confundir strippers com as nossas mulatas das escolas de samba, embora nós saibamos que enquanto estas demonstram a manifestação cultural de um povo de um país tropical, aquelas têm, exclusivamente, a pretensão de despertar a libido do seu público.

Contudo a grande verdade é que as mulheres brasileiras são sexualmente muito melhor resolvidas que, por exemplo, as estadunidenses, que não hesitam em prestar queixa por assédio sexual por qualquer olhar mais lascivo de um homem, mas que nem por isso se expõe além do razoável. Tanto assim que um programa mundialmente popular, o Big Brother, na sua versão nacional é muito mais familiar do que seus similares de outros países, nos quais cenas de nudez proposital e sexo explícito são bastante freqüentes, como se pode verificar através de uma rápida pesquisa no Google.

Caipirinha

De outra sorte é absolutamente verdadeiro que a imagem que se vende do Brasil para turistas envolve, sim, a sensualidade da brasileira e este tipo de marketing, queiramos ou não, foi o que influenciou o comentário dos humoristas.

Finalmente temos que reconhecer que o Brasil, agora emergente econômico, entrou, definitivamente, no cenário internacional e, bem ou mal, estão todos falando de nós. Façamos deste limão uma limonada, ou melhor, uma caipirinha!

Categorias
Direito

Big Brother Brasil 8 tem Bacharel em Direito

Fernando BBB8A oitava edição do Big Brother Brasil[bb] tem, outra vez, um formado em Direito. Desta vez é o carioca Fernando Mesquita que, no entanto, não trabalha na área.

Consoante informa o website da Globo, Fernando é gerente de contas de uma multinacional.

Em edições anteriores já houve outros bacharéis disputando o prêmio máximo do concurso.

A catarinense Liane, na versão anterior, tinha a pretensão de ser Juíza do Trabalho, Juliana do Big Brother 4 abandonou o Direito após se tornar “celebridade” em virtude do programa e até o Cowboy Rodrigo, vencedor da segunda edição, do qual não se tem notícia de ter estudado Direito, teve circulando boato de que teria sido nomeado desembargador na vaga reservada aos advogados em São Paulo.

Categorias
Direito

BBB – Big Brother Brasil 7 tem pretendente à magistratura do Trabalho

Foi no primeiro programa que a estudante de Direito catarinense Liane revelou a Bial e aos telespectadores do programa que tem a pretensão de se tornar, em breve, Juíza do Trabalho.
Não existe nada que impeça que um ex-Big Brother seja Juiz do Trabalho. Todavia a Lei Orgânica da Magistratura prevê em seu art. 78, uma investigação acerca de aspectos sociais e morais do candidato.
Até presente data poucos Big Brothers nacionais ultrapassaram os limites aceitáveis do razoável em seu comportamente perante as câmaras. Resta torcer para que esta candidata não se exceda em seu comportamento, o que lhe permitiria, se mal-sucedida na pretensõa do grande prêmio, uma chance na carreira da magistratura.
Apenas a título de curiosidade, resta lembrar que há algum tempo circulou na rede um boato (hoax) de que Rodrigo Cowboy, vencedor da segunda edição do concurso, teria se tornado Desembargador em São Paulo, mediante ingresso em vaga do quinto constitucional, o que foi desmentido pelo sítio Quatro Cantos, dentre outros.