je suis Charlie

Imprensa livre e liberdade de expressão são direitos fundamentais que devem ser defendidos por todos. A maior parte das grandes ideias atuais foram, em algum momento, contra-majoritários. Quem defende a censura ou justifica, de qualquer forma, o atentado à revista Charlie Hebdo, mesmo na forma em que o faz, por exemplo, o Frei Leonardo Boff, está, em alguma medida, defendendo o statu quo, o geocentrismo ou o criacionismo.

Ninguém está obrigado a considerar de bom gosto imagens como a da capa em que representações da Santíssima Trindade são representadas em uma relação homossexual, no entanto a melhor resposta para o mau gosto ou o desrespeito é o desprezo.

Não vou citar Voltaire, até porque a frase, segundo se diz, lhe é atribuída de forma equivocada, contudo, com certeza, teremos chances de obter muito mais ganhos do que prejuízos com a liberdade de pensamento e da expressão deste.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-1x2

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: