iframe {display:none !important;}
Escolha uma Página

Às vésperas de encerrar seus dois anos de mandato à frente da presidência do Supremo Tribunal Federal, o ministro Gilmar Mendes se submeteu a uma prova de fogo: dispôs-se a responder perguntas formuladas por usuários do YouTube sem a interferência do próprio Tribunal ou do portal de vídeos.

Conforme a Folha de São Paulo, isso lhe representou um grande constrangimento e uma enorme saia (ou toga) justa, ao ter que dar conta de suas decisões em favor do banqueiro Daniel Dantas, dentre outras decisões que ganharam a mídia.

Não há dúvidas de que a decisão de responder às perguntas, na forma como feita, em um canal que, conforme a introdução do próprio programa, é o primeiro de uma Suprema Corte de todo o mundo divulgado no portal de vídeos, foi de extrema coragem e, sem embargo de se  concordar ou não, ou gostar ou não, do ministro, deve ser aplaudido e incentivado.