Caso Isabela Nardoni: Defesa usa mídias sociais.

Caso Isabella Nardonni

Caso Isabella Nardonni

Às vésperas do julgamento de um dos casos judiciais mais explorados pela mídia de todos os tempos (no próximo dia 22), o assassinato ainda envolto em mistério da menina Isabella Nardoni,  se observar uma nova estratégia na condução de um caso: o uso das mídias sociais.

Embora anônimos, é fácil notar que o blog O Caso Isabella e o Twitter @JusticaJusta (Justiça Isabella), estão afinados com as teses da defesa, divulgando, inclusive, matérias que deverão ser aventadas durante o julgamento, como dúvidas a respeito da existência de sangue no veículo do casal suspeito, ou sobre testemunhas não ouvidas.

Não é uma estratégia ilegal, embora o anonimato não seja o melhor meio de pregar uma verdade. O certo é que se houve já uma condenação pela mídia do casal Nardoni, a tentativa de plantar “uma dúvida razoável” na sociedade, amealhando, talvez, a opinião de alguns dos jurados é mais do que válida.

O que toda a sociedade sem dúvidas quer é que seja feita justiça, sendo que justiça em casos em que não é possível, sem rastro de dúvidas, identificar o criminoso é a absolvição.

No entanto competirá aos jurados, à luz das provas e argumentações, dar o veredito e faz parte do Estado Democrático de Direito aceitá-lo, ainda que com ele não concordemos.

Até o momento não conseguimos identificar se há um blog ou twitter representativo da acusação. Se houver, por favor ajudem-nos à atualizar este post.

18 Respostas para "Caso Isabela Nardoni: Defesa usa mídias sociais."

  1. leci de souza amaro  29 de março de 2010 às 00:42

    desde q izabel morreu que o povo ja sabia quem era o assasinode da menina mais o nosso medo e q o dinheiro prevalecesse q esse monstro n fosse condenado mais deus e maior sabia q eles não podia ficar impune e nome de todas as crianças q deus sempre proteje q estava com controle de tudo teria q fazer justiça mais quero quea mae de izabela saiba q ainda tem a justiça de deus q e muito pior q a dos homens q ela tarda mais não falha ana carolina te amamos sempre te amaremos porque apredemos a mar sua filha no hora mais dura mais foi a maneira q deus achou de por tanto amor assim pela sua filha e por vc cada lagrima q derramei o todos os brasileiros foi por amor estamos orando por vc e uma maneira de dizer para vc lute para ser feliz porque e dentro desta da sua felicidade que encontraremos conforto em nossos coraçãos q deus te abençoe e toda sua familia beijo

    Responder
  2. Ana Déborah  27 de março de 2010 às 16:50

    Muito triste essa situação , graças a Deus a justiça foi feita eim nome de todo o Mundo, nos estamos aqui morrendo de saudades , descanse eim paz , e brilhe muito mais .

    Responder
  3. samara viana de oliveira  27 de março de 2010 às 01:26

    Existe alguma possibilidade, e isso já foi comentado?, se por um acaso, o Alexandre já havia batido na Izabella dentro do carro. Esta provavelmente chorava muito e não parava de chorar… a Carolina, estava discutindo com o Alexandre pq a filha ñ parava de chorar e estava implicando com o irmãozinho.. a Carolina, muito estressada começou a discutir com o Alexandre, e isso foi ficando cada vez mais tenso… ela bateu na menina, quando chegam em casa, Alexandre pega a menina no colo, coloca na cama e ameassa pra que ela pare de chorar.. ele estressado demais, corta a rede e amessa jogá-la se ela ñ calar… ela ñ para, ele pega ela e coloca no colo,ele se apoia na janela e ela escapole da mão dele! e cai!

    Responder
    • Jorge Araujo  27 de março de 2010 às 10:50

      @samara viana de oliveira,

      Estas circunstâncias intermediárias “ele corta a tela…”, se fossem teses da defesa, deveriam ter sido informadas pelo réu, não o foram…

      Responder
  4. Eliza Cabalheiro  25 de março de 2010 às 15:23

    Lembro do dia da morte de Isabela…
    A mãe de Alexandre chega desesperada ao local,gritava PRENDAM ESSE ASSASINO!PEGUEM ESSES MONSTRO!!! Como se soubesse quem era o assasino da menina! sua neta!…

    Responder
  5. Eliza Cabalheiro  25 de março de 2010 às 15:19

    O que fizeram foi ligar para o pai dele(advogado)de onde com certeza passou instruções para apagarem os vestigíos!
    E dizer q. havia uma terceira pessoa no ap. tanto q. chamaram o porteiro até o ap. coisa q. ñ aconteceu,pq. aí sim! teria um inocente (pooobre) atrás das grades

    Responder

Eu escrevi este texto exclusivamente para você. Por favor não deixe de comentar...