home Direito O STF, o Google, o cabeleireiro e a Síndrome de Down.

O STF, o Google, o cabeleireiro e a Síndrome de Down.

Pessoal a coisa tá braba hoje. Como sempre entrei na rede apenas para “dar uma espiadinha”, mas tem coisa a beça acontecendo e tudo muito errado…

Em primeiro lugar o que é isso de o STF aceitar um processo de HC (habeas corpus) por furto qualificado? O Brasil não tem mais justiça de primeiro e segundo grau? Se há problemas no processo, se houve vício de citação, etc. isso é coisa que pode muito bem ser decidida pelas vias ordinárias. Caso contrário a mesma Corte responsável pela apreciação de importantíssimas questões de relevância nacional, como as ações diretas de inconstitucionalidades, se atrolha de questões, importantes, sim, mas não relevantes para o país, como briga de vizinho, mordida de cachorro, o escambau.

Depois tem esta notícia de que a Arquidiocese do Rio quer cobrar dos estúdios da Columbia pelo uso do Cristo em seu cartaz de divulgação do filme 2012. Sei lá, a manchete diz que está pedindo indenização. Ou seja a cobertura de um dano… Sei lá que dano um filme pode causar a Jesus Cristo ou à sua imagem pela sua publicação em um maldito mero cartaz. Além do mais Jesus era contra a idolatria, sendo que a Igreja acabou encampando a coisa de imagens, santinhos e outros quetais mais para acolher outras religiões do que por idéia do altíssimo. Será que o dano não teria sido causado pela própria Santa Sé?

E para não dizer que é só no Brasil o absurdo olha esta da Justiça Italiana… condenaram alguns executivos do Google por permitir a veiculação de um vídeo em que um portador da Síndrome de Down era agredido (dica da @veriserpa). A situação é mais ou menos como prender o vidraceiro ou o fabricante de janelas por permitir que se veja uma cena através delas.

Qualquer criança sabe que postar um vídeo no YouTube é muito mais fácil do que roubar doce dela própria (quem disse que roubar doces de crianças é fácil?), e esta facilidade tem sido explorada tanto para o bem quanto para o mal. Basta lembrar que a nossa Suprema Corte – a mesma que julga HC de ladrões – publica no YouTube os seus vídeos, ou o caso dos jovens que mataram a pauladas um cãozinho, que apenas foi apurado e os jovens identificados em decorrência da publicação – o que, certamente, também ocorreu no caso dos jovens nazistas italianos, uma vez que se noticia a colaboração do Google para a prisão.

Além do mais o número de acessos, em torno de 5.500, em cerca de dois meses, mais revela que os próprios usuários (que se disseram agredidos pelas exibições) foram negligentes em sinalizar o vídeo como impróprio (medida que é efetiva e que eu próprio já usei) do que atribuir esta medida aos executivos da empresa, o que tornaria o serviço muito mais lento e menos útil.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-KJ

4 comentários em “O STF, o Google, o cabeleireiro e a Síndrome de Down.

  1. Enquanto a caixa preta, segundo o Lula não for aberta, essa situação vai permanecer, eu eu concordo com ele!
    O STF não deveria ser, mais é um órgão politico, a diferença é que são perpetuo no poder, os outros partidos nós trocamos conforme nossa necessidades e ou conveniência.
    Se existe uma coisa que não funciona no Brasil, e que atrapalha seu desenvolvimento é o STF.
    O pior é que isso acaba por contaminar instancias inferiores e o absurdo toma proporções inusitadas, aumentando ainda mais a descrença popular na (in)justiça.
    http://flitparalisante.wordpress.com/2010/02/24/quando-pobre-rouba-vai-para-a-cadeia-quando-juiz-faz-o-mesmo-ganha-aposentadoria/

  2. O STF julga casos relevantes como o incrível furto de alguns centavos e o roubo de um pote de margarina. Qual a sua surpresa pelo HC do ladrão? (rs)

    A justiça tem que se modernizar e mudar a mentalidade mecânica que a rege. É uma pena que o tribunal máximo da nação tenha que perder seu tempo com causas tão “sublimes”. Enquanto isso, questões como o mensalão, políticos corruptos e a intervenção em Estados ficam “na fila”.

    A coisa parece até orquestrada para que assim seja.

  3. Realmente, não soube da notícia da Arquidiocese do Rio, mas as outras me deixaram indignadas, afinal… não bastam os políticos para fazerem besteiras, o judiciário agora tbm quer participar?
    Principalmente o HC por furto me deixou impressionada, será que o Juiz realmente não poderia ver a nulidade e declara-la? Faltou atenção ou vontade?

    Muito bom texto!
    Ahh e que claro que não é generalização, os magistrados, em regra, são brilhantes!

    Abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: