Seqüestro de Santo André

Acerca do trágico desfecho do seqüestro das jovens em Santo André há muito o que questionar acerca dos procedimentos adotados pela polícia na gestão da crise.

É bem verdadeiro que os policiais que se encontram envolvidos no conflito tem que tomar determinadas decisões no curso do conflito cujas conseqüências não são possíveis de ser previstas com precisão. Todavia alguns equívocos se demonstraram mesmo antes do fim do caso e, ainda que bem sucedidos, não deveriam ter sido adotados.

Por exemplo se ter admitido o retorno de uma das reféns ao cativeiro, com certeza, foi uma má idéia, assim como não se compreende que se tenha permitido ao seqüestrador descansar e, principalmente, a manutenção de luz e água no local, admitindo-se, inclusive, que Lindberg pudesse ter por tempo integral acesso ao seu telefone celular.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-lC

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Participe da discussão

17 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. RESPOSTA AOS QUE DISSERAM QUE NÃO ERA POSSÍVEL A UTILIZAÇÃO DE ATIRADORES DE ELITE NO SEQUESTRO EM SANTO ANDRÉ:

    Muitas falsas verdades foram alegadas para não terem sido utilizados atiradores de elite no sequestro em Sto André.

    Aqui vou DESMITIFICAR algumas:

    MITO Nº 1

    ” A polícia não tinha armamento adequado, e ou não haviam condições adequadas para utilizar atiradores de elite”

    MENTIRA.

    Já no início do sequestro, a policia havia divulgado para TODA A IMPRENSA que haviam 6 ATIRADORES DE ELITE posicionados no local. Portanto se não houvesse armamento adequado, os atiradores seriam postados com o quê nas mãos, estilingues?

    Sobre não haverem “condições técnicas”, haviam dezenas de prédios extremamente próximos a janela onde Lindbergh colocou sua cabeça de melão pra fora. Na verdade pela pouca distância, um atirador EXPERIENTE teria fulminado o meliante com uma arma convencional, sem necessidade de gastar uma bala de rifle ( já que esse marginal não vale nem isso).

    MITO Nº 2

    ” Ele estava com a arma na cabeça das meninas quando aparecia na janela, por isso não podia ser alvejado”

    MENTIRA

    Um tiro certeiro na testa mataria o verme NA HORA. E isto significa que após levar a bala, ele não teria reação diferente da de uma tv desligada da tomada. Apagava na hora.

    Não existe essa historia de puxar o gatilho “por reflexo”. Depois de levar uma bala no cérebro, o individuo amolece instantaneamente. Só teria reação de puxar o gatilho se o tiro fosse impreciso, mas é para isso que os atiradores são DE ELITE.

    MITO Nº3

    ” Era um crime com contornos passionais, diferente de um sequestro normal…”

    MENTIRA

    Se um CIDADÃO se apodera de pessoas INOCENTES, mediante utilização de armamento de fogo, neste momento ele deixa de ser cidadão para ser MELIANTE, CRIMINOSO, MARGINAL, e ESTE É O ELEMENTO A SER ELIMINADO, independente dele ter perdido o emprego, brigado com a namorada ou o escambau.

    Desculpas como esta para não ter matado esse verme causam muita repulsa.

    O QUÊ VALIA MAIS, A VIDA DE UM PSICÓTICO DROGADO COM 22 ANOS ou a de UMA CRIANÇA DE 15.

    EXPLICA ISSO CORONEL???

  2. Este sequestro, no futuro pode ser mostrado no MUNDO INTEIRO como um exemplo de COMO NÃO SE DEVE AGIR em situações como esta.

    Já no primeiro dia o marginal mostrou a cabeça na janela uma CENTENA de vezes.

    BUM. Um sniper SEMI-AMADOR teria resolvido a situação em MEIO SEGUNDO. Mesmo com a arma na cabeça de alguma garota, ao levar um tiro certeiro na cabeça, ele não teria tempo nem reflexo para puxar o gatilho. A medicina COMPROVA, E A POLÍCIA SABIA DISSO.

    Existe alguma lei que impeça snipers de agirem no Brasil? Se existe, porque a polícia treina snipers?

    Algum boi… cidadão virá pra falar: “E os defensores dos DH?”

    RESPONDO:

    Babacas defensores de DH existem em qualquer lugar do mundo, mesmo assim a polícia destes países não deixa de fazer seu trabalho. SÓ AQUI QUE NÃO É ASSIM.

    Faltou preparo e faltou coragem para a polícia. SIMPLES ASSIM

    Quem defende DH são pessoas que nunca perderam alguém para a violência, por isso são a mesma coisa que nada.
    Nunca tinha ouvido falar nessa baboseira, que “como é POR AMOR, vamos preservar a vida do bandido”.

    Se um MARGINAL armado invade um apartamento com pessoas inocentes, este deve ser alvejado no primeiro momento em que vacilar, INDEPENDENTE DA MOTIVAÇÃO . SIMPLES ASSIM

    O que mais enoja nesta situação, é que outros casos como estes ocorrerão. Outros Marginais como Lindbergh farão seus showzinhos particulares, e os snipers de Video
    -Game continuarão nos seus galpões, treinando em maçãs e cabeças de isopor.

    LAMENTÁVEL .

  3. Confesso a vocês que não gostei nada da atuação da PM que fui obrigado a ver na TV em dois episódios recentes, ambos relacionados à sua atividade de dar Segurança Pública aos cidadãos paulistas.

    Se a CF diz no art.144, ser a Segurança Direito e Dever de Todos, e se ela é fornecida à Sociedade por policiais profissionais que ganham para fazer esse trabalho.

    Pergunto então onde fica o Principio da Eficiência pelo qual devem se conduzir os agentes públicos (policiais remunerados), Principio da Razoabilidade,e Principalmente do Respeito à Vida e Dignidade Humana e que inocorreram no caso da mocinha Eloá e da Greve dos Policiais Civis?

    No primeiro caso, para serem solícitos com a mídia e principalmente por cuidarem em primeiro lugar mais de relações públicas/imagem com a televisão do que com a vida das reféns, cometeram vários erros que todos do povo estão a enumerar e a falar.

    Parece que faltou uma estratégia adequada de uma Autoridade só, de um só negociador, que conduzisse o caso.

    Porque ou se optava por negociar e negociar até o fim, com o seqüestrador, vencendo-o pelo cansaço, ou em 24 hs se encerrava o caso, atirando-se no mesmo, ou invadindo o local com todas suas informações, dominando o bandido e resgatando suas vitimas.

    No caso em tela não se levou até o final nenhuma das duas condutas esperadas, o que fizeram foi negociar até quando quiseram e abruptamente resolveram invadir o local e, acabar do jeito que desse o seqüestro. Talvez porque fosse 6ª feira e como são funcionários públicos, queriam terminar logo o trabalho e irem embora para casa descansar, aproveitando o justo descanso.

    Fiquei também com dúvidas pelas reportagens que vi no Jornal da Globo e no Fantástico, nos últimos dias.

    A primeira que considero mais possível de ter ocorrido foi aquela em que o Perito Dr.Molina analisando a gravação do ocorrido,diz ter havido quatro disparos, próximos ao fim do evento. Um anterior e três durante a invasão do apartamento.Esse primeiro que teria sido atribuído ao doido algoz.

    Disse-nos o perito da Unicamp, que por ter o disparo um som diferente do da arma usada pelo desequilibrado, teria sido efetuado pelos pm’s para justificar a abrupta invasão do cárcere privado.

    E disse mais, que devido ao fato da demora em invadir o imóvel permitiram com que o celerado matasse sua ex-namorada e ferisse sua amiga, e saísse ileso do episódio.

    No caso da greve da Policia Civil, que não é só dela porque os últimos dois governadores do PSDB, também não concederam reposição salarial alguma aos Policiais Militares.

    Aliás Policiais Militares que só existem no Brasil e no Paraguai, segundo me contou um conhecido. Porque em todo o mundo o que existem são policiais civis e policiais civis uniformizados,formando uma só Policia.

    Única e eficaz, a serviço da segurança pública, modelo este que seria ideal para todos nós,tolhidos que fomos pelo executivo federal que através do mensaleiros lideres dos partidos políticos, tentou nos retirar o direito à legitima defesa com arma de fogo, apesar de termos dito não à proibição do direito de usarmos armas quando precisássemos, no REFERENDO.

    Necessidade essa que pode se nos afigurar,se precisarmos agir em legitima defesa própria ou de terceiros , direito esse também definido e escrito no Artº 301 do Código de Processo Penal Brasileiro, o qual diz: “Qualquer do povo pode e o policial deve prender, quem quer que seja encontrado praticando um crime em flagrante delito”

    Na manifestação dos Policiais Civis, vi pela TV os PM’s obedecendo ordens extremadas e exageradas,de um autoritário e apavorado governador, funcionário público n° 1 do Estado,dispararam bombas de gás, balas de borracha, e etc.., contra seus colegas, ferindo-os e tolhendo seu legitimo direito de levar em comissão, ao Chefe do Executivo Paulista, suas urgentes reivindicações de reposição salarial.

    O que me fez lembrar imediatamente da musica “Haiti” de Caetano Veloso que tem o estribilho “O Haiti é aqui, o Haiti, não é aqui”,e que tem um trecho que diz mais ou menos assim, ao que me recordo:”soldados negros, batendo em pobres, que de tão pobres são pretos…”

  4. Tenho orgulho de ser brasileiro, mesmo não contando com uma polícia tão eficiente quanto queria. Talvez o Sr. Sérgio Oliveira preferisse ser um inglês, principalmente depois que a polícia de lá matou um brasileiro com 8 tiros, desarmado, sem ter a certeza de sua identidade e profissão. Eles apenas “desconfiaram” que o rapaz era terrorista e o eliminaram. Belo exemplo !
    É certo que no caso de Santo André muitos erros foram cometidos por quem liderava as ações. Já que atirar no sequestrador, à distância, não era recomendado (será que os policiais contavam com a arma adequada ?), demorar 96 horas para invadir o “cativeiro” foi tempo excessivo. Ora, todos que se manifestaram acerca do epsódio (na maioria leigos)afirmavam: “Ele vai matar a Eloá porque o que ele quer ela não vai dar, ou seja, o amor dela”. Aliás, a Eloá já havia dito isso muito antes. A polícia sabia que o tal lindberg estava transtornado, desiquilibrado. Por isso a resposta não poderia demorar tanto.
    A polícia devia contar com equipamentos simples para “mapear” o local do crime como, por exemplo, uma microcâmera, vez que estavam no apartamento de cima e tal providência não colocaria em risco a vida das moças se realizada com técnica. Aqui surge outra questão: será que a polícia dispõe dos recursos necessários para bem conduzir suas ações ?
    Quanto a imprensa, especialmente a Record e a RTV lamentável o exemplo que deram e mostraram como jornalismo não deve ser praticado: entrevistar o sequestrador durante o crime é o cúmulo do absurdo ! Depois, só se ouvia opiniões inflamadas de quem nada entende sobre a dinâmica de um sequestro (colocaram um cozinheiro para falar do crime e só se ouviu bobagem).Tais emissoras simplesmente desprezaram a interidade física das moças em troca de 1 ou 2 pontos a mais de Ibope. Acho que a vida delas valia muito mais. E não vão deixar o caso esfriar porque vão insistir na questão do momento dos tiros, se antes ou depois da explosão, como se tal circunstância alterasse a ordem das coisas. Ora, quem está encurralado e se vê ameaçado atira em quem tenta desmobilizado e não nos reféns. Por que o tal lindberg não atirou na moça e depois suicidou-se ? O tiro que ele deu na Maiara poderia ser direcionado à cabeça dele, não é ? É que ele estava se achando importante demais, por causa da imprensa. E, mais, ainda tem o depoimento da Maiara que deve resolver várias dúvidas. A menos que um pai jogue uma criança pela janela, o sequestro de Santo André vai render muito na imprensa.

  5. 20/10/2008
    Poderia Ser Diferente
    sergioolliveira @ 17:14
    Em cima de tragédias muitos querem aparecer. Durante o sequestro das meninas de Santo André, todas as emissoras de televisão, seguravam seus ibopes com psiquiatras, psicólogos e sociólogos, comentando e diagnosticando; – Pergunto: Quantos dessas classes estavam no local do crime para ajudar em que o final fosse diferente?
    A polícia tem a maior parte de culpa no desfecho, disso não tenho dúvidas. Uma polícia onde o comando se move por intransigência, arrogância e orgulho, não poderia ser diferente. O poder mesmo na dita democracia parece que tem que sobressair, mas, convenhamos – se o comandante diz que o rapaz tinha apenas 22 anos e não tinha passagem criminal, por isso, estava aliviando o lado dele, então, o que ele pensava das duas meninas reféns?
    Foi uma vergonha o que a polícia fez! Essa exclamação não é só de um leigo como eu, mas, também de um brasileiro que treina outras polícias pelo mundo a fora que disse no fantástico de ontem (19/10/2008): – tenho vergonha de ser brasileiro, pelo que a polícia de São Paulo, fez!
    Polícia no Brasil não sabe se relacionar quando intimidada ou levada ao estresse. Então, deve haver constante reciclagens e trabalhos de segmentos alternativos, como yoga, tai-chi-chuan ou outra coisa para que cenas de 174 e Santo André não virem indicações ao oscar.
    O rapaz é doente ou estava doente, então, como tratar um doente ou uma pessoa em estado doentio numa situação tão sinistra? Essa resposta não pode ser dada por um comandante intransigente ou posso dizer sem comando, já que em sua primeira entrevista, logo, após a invasão, uma repórter lhe perguntou de onde veio a ordem – ele respondeu que não teve ordem – os seus subordinados agiram por conta própria.
    Acredito piamente que só o peru morre de véspera, portanto, aquela menina, cumpriu sua missão, talvez prendendo o rapaz que a matou ou quem sabe salvando vidas que salvarão outras vidas. Mas, espero que disso tudo, a jovem também tenha ensinado que mesmo numa situação de polícia a humildade é fundamental.
    Sergio Olliveira
    [email protected]

  6. sabi eu fiquei muito triste com esse sequestro quando eu vi a eloá e a nayanra
    eu mi sente muito triste com o sequestro o lindemberg não poderia fazer isso com ela principalmente com a eloá
    uma menina de apenas ”15” anos vou terminando as minhas palavras por aqui por que estou muito emocionada
    beijos descanse em paz eloá isso é ki é amiga um abraço enorme pra nayana

  7. Infelizmente a polícia é refém de políticos mal preparados como os nossos. Age de acordo com conveniências políticas e não de acordo com o que a situção exige. A polícia não tem que negociar com bandidos, na primeira oportunidade o meliante de Santo André devia ser sumariamente eliminado por um atirador de elite. Na versão do comandante foi melhor preservar a vida de um bandido do da jovem inocente e honesta na melhor fase de sua vida. Ao diabo com os pseudos protocolos.

  8. Eu também acho que houveram equívocos na ação policial, mas não nesse caso específico e, sim, em todas as situações que envolvem seqüestro e cárcere privado. Não acho que a autoridade policial tenha que negociar com bandido, sou a favor de uma ação imediata e definitiva, embora saiba que em alguns casos pessoas inocentes vão correr um risco enorme – mas que a polícia militar e todos os batalhões especializados que atendem esse tipo de ocorrência tenham um protocolo de procedimento para agir. O que eu não aceito é que tenham submetido a Eloá a quatro dias de sofrimento nas mãos de um desequilibrado, para, numa ação que ninguém entendeu e que – ao que parece – não teve nenhum planejamento ou protocolo, colocar tudo a perder (inclusive a vida da menina). E depois, o que me deixa ainda mais revoltada são os argumentos do comandante da operação: “tivemos que invadir, ele ameaçava atirar contra as reféns, ele atirou primeiro…”. A vida das moças esteve o tempo inteiro sob ameaça e depois do que aconteceu não interessa mais saber quem atirou primeiro: a polícia tem que dispor- eu insisto – de um protocolo para cada tipo de crime e assumir os seus atos com base neste protocolo. Trata-se de seqüestro? Então que se invada o local de uma vez, independentemente das ameaças ou atos violentos do bandido; afinal, a população precisa de ações seguras da força policial e não de atos que mudam conforme o caso ou o comando. Pelo amor de Deus, o bandido esteve na mira dos atiradores de elite diversas vezes, quando chegou à janela do apartamento para negociar, por que não atiraram? Ouvi a declaração absurda do comandante que disse: “-Se tivéssemos atirado e ele tivesse morrido, a população se voltaria contra a ação policial!” Será que alguém defenderia um pária que invadiu uma casa, fez uma menor de refém, submeteu a família a quatro dias de angústia, mobilizou autoridades dos mais diversos escalões, enfim, cometeu toda sorte de delitos? Ou ficariam do lado da lei, que naquele momento protegia uma jovem indefesa que estava nas mãos de um maníaco? Se a população, em algum momento, pensou em defender o algoz, então ela tem a polícia que merece e, nesse caso, ela teve o desfecho ao qual fez jus. Quando à entrada da Nyara no apartamento, sem comentários…

  9. Primeiramente, parabenizo Arthur Maximus por seu comentario. Muito do que eu ia dizer ele conseguiu falar de maneira clara e objeitva. Parabens!

    Bem..mais uma vez ficou provada a falta de capacitacao do policial brasileiro.
    Realmente, é muito facil falar, mas raciocinar num situacao para a qual vc, supostamente, teria que estar preparado pra resolver é uma obrigacao.

    Qualquer leigo perceberia tamanhos vacilos dados pelo sequestrador, um homem agindo sob plena tensao, inexperiente, desorientado, que nao tinha a minima nocao do que estava fazendo.

    Com tamanha experiencia da policia, deveriam ter sido mais atentos e aproveitado todas as oportunidades que ele (Lindemberg) jogou na cara deles. Genteeeee..a comida vinha de fora, ele aparecia na janela, tinha seu celeular ligado o tempo todo, havia pessoas do lado de fora que conheciam bem o apartamento. Enfim, existiam inumeros fatores que possibilitariam um novo fim, mas a policia nao teve sabedoria para isso.

    E quem sai perdendo com isso? A SOCIEDADE!!! Hj foi Eloá e Nayara, amanha pode ser eu, vs, ou seu filho..Nao podemos simplesmente aceitar isso!!!

  10. A Polícia errou… blz… mas todos criticam de mais… foi uma vida tirada… com certeza …e triste … mas se a policia errou e pq sua estrutura por conta de politicos e uma merda… q não cede investimentos e nem melhoria de salarios para a valorização da classe… enquanto um juiz ganha 20 mil reais por mês para tomar decisões dentro da sua sala com ar condicionado… a hora q quer e quando quer… o Policial tem fração de segundos para decidir se morre ou mata e tem Estado q o salario e de 900 reais… ta certo q e o mérito do juiz q estudou e azar do policial q decidiu ingressar nessa carreira… o q me da raiva e q o judiciário faz um monte de cagada e ninguem diz como ele deveria fazer… na verdade ninguem fica sabendo…agora aparece um monte de negociador… gerente de crise e até Swat….o executivo mata mais gente q a guerra urbana no Rio…e ninguem fala nada… ou vcs acham q aquelas pessoas q morrem na fila do S.U.S e Hospitais Públicos pelo Brasil com falta de leito, medicamento, equipamento… pra onde vai o dinheiro da saúde… pro meu bolso q não vai… o legislativo so cria e vota leis para seus próprios benefícios… enquanto povo morre de fome… Vc arranca um dente .. não fica enchendo o saco do seu dentista mostrando como faz… vc vai no medico e não fica enchendo o saco dele , mostrando como receita um remedio… agora se o policial faz algo de errado aparece um monte de gente querendo ensinar como fazer o serviço…Se não ta satizfeita com a policia q sempre erra… pq não acaba com ela… ja q todos da sociedade são policiais … todo mundo e formado em segurança pública… Agora rasgar a madrugada com o rabo dentro de uma viatura, botando a vida em risco e deixando a familia , pra tomar conta da sua familia … ninguém quer…e muito facil falar e criticar… agora estender a mão pra ajudar não aparece um… a policia falhou…certamente… pq a sociedade ao invés de malhar … não clamam por uma melhoria na policia…como de treinamento…armamento… salario

    1. Caro PM,

      Todos concordamos que a atividade do policial é muito visada e criticada, na maior parte das vezes injustamente.
      Todavia no caso em destaque parece que quem errou não foram os PMs mal-remunerados, mas os oficiais que percebem um salário bem superior e cujos erros foram muito elementares. Tanto que o desfecho trágido já era previsível como referiu nosso amigo e que também comentou aqui Arthurius Maximus.

      Saudações!

  11. Os erros da polícia de São Paulo foram os mais primários. Até um amador sabe que seqüestradores passionais são instáveis e em quase 100% dos casos querem matar as reféns e se suicidarem.

    Para que não digam que “depois é fácil falar”; bastar dar uma olhada no artigo que escrevi um dia antes e que já mencionava isso. Já houve vários casos idênticos em SP nos quais a polícia tratou seqüestradores passionais como bandidos comuns e o final foi o mesmo (morte dos reféns).

    O mais triste; é aturar a imprensa paulista defendendo a ação dizendo que “foi feito o possível”. Um absurdo!

    O próprio responsável pela operação definiu muito bem que a preocupação maior era com a vida lo Lindemberg numa frase que “saiu sem querer” em sua entrevista coletiva.

    Ao ser perguntado sobre a morte das reféns ele escorrega e diz: “Se tivéssemos matado o “garoto”, hoje vocês estariam me enchendo de perguntas e reclamando”.

    ESSE É o problema! Pura politicagem e a preocupação com o que a imprensa vai falar. Polícia deve agir dentro da técnica e para preservar a vida DOS REFÉNS. A partir do momento que o cara pega uma arma e faz um refém; pouco importa se ele era coroinha da igreja e seminarista antes. NAQUELE momento ele é um bandido que pode matar alguém; logo, deve ser neutralizado o mais rapidamente possível.

    A polícia foi dominada por políticos e isso é horrível. O resultado é óbvio.

    O bandido sai ileso e gozará de todas as benesses da lei por ser primário. As reféns; uma está morta e a outra terá cicatrizes que a acompanharão pelo resto da vida.

    Numa só palavra: Imbecis!

    1. @Arthurius Maximus,

      Obrigado pelo comentário. As pequenas divergências que teria em relação ao teu pensamento não merecem ser destacadas para não enfraquecer a conclusão.
      Precisamos antes de mais nada uma política séria contra a criminalidade que permita que os cidadãos de bem fiquem livres e os criminosos presos e não como ocorre atualmente quando tememos alguns lugares e horários pelo domínio que a criminalidade já tomou de lugares públicos.

      Abraços!

  12. Os policias foram muito burros em devolver uma das refens ao cativeiro ,porque isso não adiantou nada e o sequestrador só ganhava mais tempo !.
    Os policiais em seu trabalho não podiam ter agido daquela forma com Lindberg
    pois cada veiz mais ele se sentia preojudicado e arriscando casa veiz mais a vida das adolecentes .
    Não somente os policiais erraram nessa operação como tambem a familia da adolecente Eloá , eles por um lado erraram em ter precionado tanto o Sequestrador até o ponto de corta a luz e a agua da casa !.
    Lindberg feiz isso com somente um proposito conseguir conquistar a adolecente de qualquer maneira , agora como ele matou a garota e foi pra cadeia vai morrer la dentro porque agora que ela num vai ser de ninguem mesmo .
    Eu estava ouvindo uma entrevista na Band com o jornalista falando ao telefone com ele , e no meio da conversa ele disse:
    – Se ela não é minha ela não vai ser de ninguem mais !.
    E mesmo sabendo dos riscos que a adolecente corria a policia continuou a fazer burrices como ter invadido o apartamento daquela forma !.
    Então na minha opinião os culpados da morte de Eloá que agora esta em Morte Cerebral Inreversivel não é somente de Lindberg mais tambem a maior culpa são dos policiais em agir de forma errado com um sequestrador !!

%d blogueiros gostam disto: