Escolha uma Página

Fui convidado pelo CETRA-RS para dar uma aula sobre a sustentação oral nos tribunais. Não sou juiz de tribunal e, tampouco, atuei em segundo grau quer como advogado e, muito menos, como juiz.

Aliás a minha única sustentação oral foi na condição de interessado perante o Órgão Especial do TRT para justificar meu pedido de autorização para sair do país e cursar meu mestrado em Montevidéu, com sucesso.

Todavia, embora esta aparente inexperiência, sou um grande entusiasta da sustentação oral e, sempre que tenho oportunidade, aconselho meus amigos advogados que se utilizem deste meio para expor o direito de seus clientes que, muitas vezes, por causa da frieza da palavra escrita, grande volume de trabalho ou mesmo intervenção de auxiliares na elaboração dos votos acabam não recebendo a atenção necessária, o que pode ser despertada através de uma boa apresentação oral.

No entanto muitas vezes o advogado, interessado em apresentar seu caso perante o Tribunal, esbarra na sua timidez ou incapacidade para expor o seu caso oralmente.

Casualmente ontem eu estava no Centro e resolvi dar uma olhada nas obras à venda em uma livraria e esbarrei com dois livros que me pareceram bastante interessante, ambos do mesmo autor, Reinaldo Polito. O autor tem um currículo extenso em termos de cursos de oratória. Achei muito interessantes e comprei ambos. Um bem pequeno, menor do que de volso, e se chama Superdicas para falar bem em conversas e apresentações o outro, mais específico para o nosso caso, é Oratória para advogados e estudantes de Direito.