A notícia me surpreendeu certamente mais do que a qualquer um. Eu sempre tenho afirmado ao ser pergundado que no Rio Grande do Sul não há casos do assim chamado trabalho escravo.

Não que as relações trabalhistas aqui sejam uma maravilha. Entretanto até então não se havia identificado qualquer foco de trabalho em condições análogas a de escravo.

No entanto a Zero Hora do dia 17/11/2007 noticia a identificação de uma fazenda em que 29 pessoas do Estado do Mato Grosso, da cidade de Alegrete/RS e inclusive estrangeiros estariam sendo submetidos a tratamento degradante, inclusive alimentando-se de ração para cavalos na falta de alimentação normal.

Tão logo eu possa apurar maiores detalhes informarei aqui.

A foto acima é do filme AMISTAD, de Steven Spielberg, que inclusive já foi objeto de referência no blog.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-8r

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Participe da discussão

3 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Não quis ser ofensiva ou acusar de preconceito. Me expressei mal. Desculpe.
    Lendo de novo o q escrevi, pareceu que eu q fui preconceituosa, não?
    Adorei o título do artigo sobre a juíza, me fez ri.
    Gosto de acompanhar seus textos: Abrem horizontes.

  2. Lorena,

    Tentei te enviar um email através do que tens cadastrado, mas infelizmente deu erro.
    A primeira linha de teu comentário merecerá, com certeza, um artigo. O fato de eu ter orgulho de coisas que não acontecem ou que acontecem em minha região, por ser em alguns aspectos mais desenvolvida que a sua pode ser considerado preconceito? Acho que não, mas isso conversaremos depois.
    Quanto à juíza da Paraíba o artigo foi publicado hoje e por isso tentei te responder diretamente para não estragar a “surpresa”.
    Um grande abraço e muito obrigado por continuar me prestigiando com os teus comentários.

  3. É, parecia que trabalho escravo era coisa de nortista atrasado, hein? Não é, é um mal que se expalha e nunca deixou de existir pelo Brasil, pelo mundo.

    mas mudando de assunto, como ver a decisão da juiza do trabalho da Paraíba que saiu no Consultor Jurídico? é regra ou exceção? juiz é o homem médio, ou é o super homem?

%d blogueiros gostam disto: