renar.gif

Acordei hoje com a firme convicção de que o Senador Renan Calheiros seria defenestrado do Senado Federal. Não mais apenas pelas acusações de que é alvo. Ou pelas desculpas, que de tão esfarrapadas melhor seria se não tivessem sido apresentadas.

Mas por uma situação muito mais grave: o senador, ao argumento de se defender, se utilizou como sua de toda a máquina do Senado Federal, se valendo do corpo funcional e de sua posição de chefe de Poder para articular, senão uma defesa, ao menos elementos que dificultassem ou atrasassem a sua despedida do poder.

E pior: permitiu que com isso o Estado deixasse de funcionar, que projetos, importantes para o progresso do país, deixassem de tramitar. Em suma fez do público uma extensão de sua privada, demonstrando um espírito republicano nulo. O que de forma alguma é recomendável para alguém que se encontra em quarta posição na linha sucessória da Presidência da República.

Isso para mim, em si, já é falta de decoro.

Agora o Senado, por uma votação apertada, acabou de rejeitar o pedido de cassação e, por conseguinte, confirmar a sua posição da presidência da Câmara Alta do nosso parlamento. Acreditar que agora, após toda esta pantomima, Renan vá deixar a cadeira de Presidente do Senado é, mais ou menos, como acreditar que vá nevar em Brasília, em fevereiro.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-6C

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Participe da discussão

11 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Nada Jorge, o cara é um herói: come a capa da playboy, os amigos pagam a conta, e ele ainda é intocável no Senado!

    Lamentável… às vezes da impressão de que eles, os deputados e senadores, nos fazem de palhaços.

  2. No Brasil não importa a verdade, só importam os segredos. E pelo visto, Renan Calheiros tem meio Senado no bolso.

    Só tenho medo do que pode vir a acontecer agora. Esse tal senador saiu dessa calhordisse como o cara.

%d blogueiros gostam disto: