pallas.jpgUma prova de que é bom se informar através de blogs foi a forma como tomei conhecimento desta notícia bombástica que, em outros tempos, bem poderia deixar em desespero a população da Terra.

No entanto fiquei sabendo através dos meus FEEDs (quem não sabe o que é isso deve ler agora o artigo sobre isso da Lu) que esta história de que o Asteróide Pallas vai se chocar com a Terra nada mais é que uma péssima jogada de marketing da Citröen para promover o lançamento de seu veículo homônimo.

E isso quem me alertou foram, respectivamente, o Renê Fraga, o Celso Bessa e o Gravatai Merengue.

Por isso, antes de ler seu jornal matutino, estampado com aquelas notícias frias de ontem, dê uma olhada no seu agragador de FEEDs e não seja surpreendido.

Agora se você quer saber algo sobre Astronomia legítima pode se informar no Submarino.com, que tem livros como este:

astronomia.jpg

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-4S

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Participe da discussão

11 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Concordo, todos os veículos devem aprovar o conteúdo que será veiculado, por isso é fácil falar que canais como uol logo retiraram do ar a matéria. Retiraram para não se responsabilizar. Mas a questão é que tudo o que vai pro ar tem que ter o aval do veículo.

    Achei a estratégia muito bem feita, só são disponibilizados para esse tipo de publicidade espaços determinados, então a mídia fica mais a cargo do veículo do que da própria agência.

  2. Como disse no meu blog, Aline, sou obrigado a discordar.

    Todas as inserções foram planejadas para confundir o leitor. Apenas no UOL estava com um tamanho relativamente grande o bastante para ser notado.

    Na maioria das peças – Terra e Estadão, por exemplo – a inscrição “Informa Publicitário” foi colocada de forma muito discreta, com certa distância da notícia e se perdendo em meio aos textos reais. As pessoas leram a notícia e, NATURALMENTE, clicaram antes sequer dos olhos chegarem a ler publicidade perdido ali ao lado. Faltou clareza e foi INTENCIONAL.

    Realmente, do ponto de vista mercantil, a citroën colocou o seu carro na boca do povo

    Mas a questão central e condenável, é a falta de limites entre o editorial e publicitário. E aí, novamente, não é apenas problema com a agência, mas também com os veículos.

    ‘braços

    Celso Bessa

  3. Pessima nada. Conseguiram colorar o pallas na boca do povo. Ao inves de se informar antes de passar uma noticia pra frente ficam usando chamadas como fonte fidedigna de informação. Ridiculo colocar culpa na citroen por sua própria ignorância. Sabe ler que asteroide vai se chocar com a terra mas não sabe ler publicidade?

    Muito legal esse viral. Aposto que vai vender muito pallas.

  4. Acho que, ao contrário de muitos comentários acima, essa equipe de publicitários atingiu seu objetivo e não vejo nenhuma falta de ética; explico porque: em primeiro lugar, deveríamos, antes de dar atenção a “astrônomos amadores”, termos mais confiança nos astrônomos profissionais e não o contrário e isso acontece no Brasilzinho véio de guerra desde o tempo do Império, ou seja, a fofoca é a base da sociedade. Em segundo lugar, ao lermos tal anúncio e, depois, sabermos que não foi um golpe e sim uma campanha publicitária, não cabe a nós julgar quem está certo ou não em consumir a marca, afinal, vivemos uma democracia e livre concorrência de mercado, onde compra quem pode ou quem quer, ou os dois. Em terceiro lugar, estamos aqui, como em outros debates virtuais, dando audiência à tal campanha que a maioria acha de mal gosto, o que não é o meu caso porque costumo filtrar e pesquisar tudo o que ouço ou leio, antes de simplesmente espalhar boatos ou mesmo disseminar pânico. Essa é a minha humilde opinião e, antes que surjam comentários nesse sentido, deixo bem claro que não sou publicitário nem coisa que o valha, não sou consumidor da marca e nem trabalho para ela, portanto, não estou sendo parcial e nem legislando em causa própria. Grato.

  5. Vcs não perceberam q eles estão mostrando um lado muito positivo…de q não podemos acreditar em qq coisa q vemos…q o mundo é cheio de mentiras…e q apenas pessoas tolas passam a pensar nisso de forma negativa…o tempo todo estava escrito q era publicidade…c em algum momento vcs acreditaram q era verdade… parabens, vcs acabam de ser pegos por milhões de noticias falsas sobre politica, economia, esportes…ou qq coisa q vcs tenham lido…mais uma vez o povo brasileiro percebe sua estupidez e prefere ficar bravo com os outros ao invés de olhar pra si mesmo e pensar nas suas próprias crenças do q é real ou não.

  6. Meu caro Jorge.
    Mandou muito bem na defesa dos Feeds – algo que quando cair “na boca” do povo vai levar muito veículo de imprensa ao desespero – e melhor ainda na sugestão de livro.
    Vou até tirar da minha estante para reler no trânsito.

    ‘braços

    Celso Bessa

%d blogueiros gostam disto: