Perdoem pela repetição, mas creio que segurança pública deve ser um assunto de interesse de todos os brasileiros, principalmente numa época como esta em que vivemos uma verdadeira guerra.

Hoje é notícia da capa do Jornal Zero Hora de Porto Alegre, ao lado da manchete de que a ação da Brigada Militar faz cair índices de 15 tipos de crimes na capital, que um Policial Militar (Ivonildo Gampert Biassi, 32 anos) foi morto em um ônibus por assaltantes pelo simples motivo de estar fardado no veículo escolhido para ser assaltado. O homicídio foi covarde, pelas costas e por dois homens.

Se antigamente o fato de haver um policial militar já dava aos demais passageiros uma sensação de segurança, hoje é mais um fator de estresse, pois nem isso os bandidos respeitam mais.

Com razão o Secretário de Segurança Pública do RS reclama das entidades de Direitos Humanos um pronunciamento acerca do crime. Um policial que fere ou mata um criminoso é um vilão, o que morre, não é ninguém.

Enquanto isso se discute uma legislação penal por estados. Isso somente permitiria que estes criminosos, se presos e condenados, pegassem uma pena inferior aos mesmos criminosos que venham a ser presos pelo homicídio de policiais cariocas, por exemplo… como se fosse possível medir a extensão de um crime pela localização geográfica do criminoso ou da vítima.


Você sabe que no Buscapé é possível descobrir qual o posto de combustível está vendendo mais barato? Clique aqui para descobrir.

URL curta para esse artigo: https://wp.me/pVtgW-2P

Publicado por Jorge Alberto Araujo

Jorge Alberto Araujo é Juiz do Trabalho e master em Teoria da Argumentação Jurídica pela Universidade de Alicante, Espanha. Titular da 5a Vara do Trabalho de Porto Alegre/RS.

Participe da discussão

2 comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  1. Se eu tivesse como, faria o contador de corpos de todo o Brasil, dividido por estados. Só que isso é uma tarefa muito grande para uma pessoa só que mal tem tempo para contar somente os corpos de policiais do Rio.

    Fico na torcida para que aconteçam iniciativas similares em outros locais do Brasil, pq a problemática é nacional!

  2. Cara, eu sou a favor dos humanos direitos, não dos direitos humanos.

    Você já viu o movimento Viva Rio? Deveria chamar-se viva bandidos. Depois que aqueles assassinos mataram o pequeno João, foram a público dizer-se preocupados com os assassinos, pois temiam que a população fizesse justiça com as próprias mão. Mas em momento algum disseram que o que os caras fizeram era bárbaro ou sequer deram os pesames a familia.

    Já viu alguém dos direitos humanos protestar pela morte de policiais ou cidadão? Eu nunca vi. Acredito que ninguém NUNCA viu. Porque? Porque são a favor dos bandidos. E o governo enche eles de dinheiro. NOSSO dinheiro.

%d blogueiros gostam disto: